E tu era iô-iô, e eu era porto seguro

E tu ias sem se quer olhar para trás, e tu voltava como se não tivesse ido. Iô-Iô tu eras, e eu era porto seguro para tu voltar. E tu chegava de mansinho, aos poucos, ia recuperando um espaço que tu sabias que era só teu, e na verdade nem precisava ser recuperado. E com teu toque sereno, desmoronava qualquer barreira que eu tinha posto entre nós. E batia na minha porta ao amanhecer, e eu com rosto amassado ia sem jeito te ver, e aquele era o melhor bom dia que eu podia ter. E teu riso torto me fazia flutuar, teu abraço apertado me fazia perceber, que mais uma vez estava a sua mercê, mas podia ser diferente? será que seria? Eu queria ter forças para te parar, mas a força que eu precisava estava muito além da física, era requisitada na alma pra não te permitir entrar, só que tu tinhas a chave, eu era teu porto, e tu sabias.

Só que me doía, esse teu inquietar, parecia sempre que eu não era suficiente, e mesmo entre juras de amor, você resolvia ir, e eu te deixava partir, deixava porque não era alguém que exigia nada de ninguém, mas sabia que não podia mais continuar com esse pesar, não se pode aceitar migalhas, a gente tem que se amar, e se você resolveu partir, eu não podia mais deixar esse ciclo vicioso continuar.

Então  percebi que não podia ser teu porto, não podia continuar esperando tu ir e voltar, simplesmente aceitar como se não me doesse todas essas tuas idas e vindas, não podia mas ser o lugar onde tu podes se acalentar quando a tempestade chega, o tempo passou e me fez notar que eu não ia mais te esperar, e foi aí que eu fui viver, e não senti mas a necessidade de te cuidar, segui para a vida, e foi nesse momento que tu se viu me perdendo que resolveu deixar de ser iô-iô e resolveu ficar. Mas já era tarde demais, eu não era mais o teu porto seguro, onde agora depois de tantas idas e vindas você desejava ancorar.

 

 

Amor-próprio: Um sentimento pra cultivar

Amor-próprio:  substantivo masculino 1.1 Sentimento de dignidade, estima ou respeito que cada qual tem por si mesmo.

O famoso amor-próprio é citado constantemente por todo mundo, a maioria das pessoas insistem em dizer que o tem, mas será que nós temos mesmo amor-próprio?

Bem, creio que amor-próprio vai muito além do “eu não vou correr atrás de ninguém” ou do orgulho que propagamos diante das várias questões na nossa vida, a gente fica se sentindo a rainha do amor-próprio quando isso acontece, né?

Mas, amor-próprio vem antes de tudo, em nossa auto-aceitação em nos avaliarmos e percebermos quem somos, qual é a nossa história, o que queremos e pretendemos ser e, com isso, nos aceitarmos e lidarmos bem com o fato do “esse sou eu”, quem você é? Você respeita o seu eu?

Ok, não quero dizer que todo mundo vai/deve estar 100% satisfeito consigo mesmo, não. Choque de realidade, né? Mas uma coisinha ou duas, OK. Só que você não pode abandonar o prédio por causa de uma rachadura. A gente tem que aprender a lidar e trabalhar com as nossas fraquezas e limitações (e digo isso interiormente), e imperfeições externas? O que é isso? Quem inventou?

A coisa mais linda é quando você tem auto-confiança e isso, vai além do ser magra-alta-loira-olhoazul (padrão? Que?)

Passei muito tempo pra entender isso, vivia incomodada com o fato de ser magra-aqui no nordeste isso não é tão legal-mas e daí que não é? quem tem que achar bonito ou não? É, acho que euzinha de melo. Hoje, me sinto muito bem com o meu peso-que é genético-e percebo que essa minha confiança e aceitação exala pra outras pessoas. Eu sou linda, sou maravilhosa, sou um mulherão da porra. E você? Quem você é?

Ame suas curvas como elas são , ame seus ossinhos, ame seu cabelo cacheado, crespo, liso ou ondulado, ame seu tom de pele e sua voz. Se ame. Ame e perceba que irão perceber o quão incrível você é! Se liberte dos rótulos, se liberte da pressão que jogam em cima de você e note que a única pessoa que tem que se importar é você!

Pronta (o), pra começar a praticar o amor-próprio?

Ela usa rosa, mas também ama rock and roll

Já dizia o ícone Paul Simonon, do The Clash, “Pink é a verdadeira cor do rock’n roll” e ainda tem gente na década 2000 insistindo em estereótipos quando falamos de música? Principalmente rock and roll…

Sempre escutei comentários esteriotipados, principalmente na fase adolescente. Quem nunca? “Ah, pra gostar de rock só pode usar preto”, “Paga de roqueiro, mas usa rosa?”, “Rosa é cor de mulherzinha” e tantas outras idiotices escutadas!

Primeiro, cor não escolhe e nem define gênero. Segundo, tudo bem você querer usar preto dia e noite e noite e dia, tudo bem você se encher de tatuagens e fumar um beck. Tudo bem você ter alargadores, piercers e não sorri para ninguém. Tudo bem mesmo, é estilo. Mas, roqueiro, em minha opinião se traduz ao simples fato do “me identifico com esse som”.

tumblr_o1lbcfVmDq1sthf15o1_500

O rock é pra ser sentido. E tudo bem você usar verde, amarelo, azul ou rosinha. Tudo bem você ser apaixonada por gossip girl e ainda assim, se amarrar num rock and roll. Tudo bem ser você mesma e assim, romper com esses estereótipos absurdos que tentam impor.

Aliás, grandes astros do rock desfilaram por aí suas roupitchas rosas e não deixaram de ser bons naquilo que fazem: rock.

Quem nunca viu o Mick Jagger, o Eric Clapton, o David Bowie ou o Paul McCartney usando terninho rosa? Até o moço Harry Styles que lançou um álbum vibes Beatles tava aí desfilando charme de rosinha bebê.

Então, está na hora de começarmos a destruir rótulos e passar a ter uma visão mais aberta sobre as pessoas. Por que eu que uso preto 24hrs por dia posso ser um roqueiro, mas minha amiga “barbie” que passa 24hrs de rosa ouvindo Iron Maiden, não?

Ora, faça-me o favor, vocês cagam regras demais na vida.

A arte não tem padrões

Recentemente a exposição do Santander deu o que falar, mas não irei me ater a isso, já vi vários posts por aí á respeito (sei que vocês também). Irei deixar aqui minha breve opinião sobre o que eu penso das artes e da cultura (ambas andam lado a lado), pra que vocês possam tirar suas conclusões à respeito das manifestações artistico-culturais existentes em nosso mundo. Lembrando que é apenas a minha opinião.

Arte seria então, uma produção que significa sensibilidade, um produto da imaginação do artista e sua finalidade seria a contemplação do belo (porém, não só do agradável, do prazeroso).

A cultura por outro lado, seria tudo aquilo que a partir da existência humana, carrega um significado: linguagem, símbolos, valores, comportamentos, “obras de arte” enfim, por aí.

A questão é simples, a partir da expansão do capitalismo criou-se então uma ideologia cultural, onde a cultura virou indústria também. Com isso, a cultura ficou submetida ao “lucro” e daí, as obras de arte viraram meras mercadorias.

Um dos pensamentos que exprimem o que acredito vem da filósofa e professora Marilena Chauí, ela diz:

“A indústria cultural vende cultura. Para vendê-la, deve seduzir e agradar o consumidor. Para seduzi-lo e agradá-lo, não pode chocá-lo, provocá-lo, fazê-lo pensar. Fazê-lo ter informações novas que pertubem, mas deve devolver-lhe, como nova aparência, o que ele já sabe, já viu, já fez”.

Então, para mim, a arte ela pode e deve trazer críticas sociais e ao mesmo tempo, sensibilidade e expressão de emoções.

Aquela arte que não nos provoca, não nos choca, é apenas um produto de lucro e em suma, servirá em prioridade para decorar.

Por isso, creio que arte não deveria se ater a padrões impostos pela indústria, mas sim, ser uma criação que exprime aquilo que quer-se exprimir através do autor; seja isso, chocante ou não.

A ilustração de capa é do artista Pawel Kuczynski que tem diversos quadros (maravilhosos) nesta mesma pegada.

E vocês? O que pensam sobre arte?

Por que se interessar por política?

O Analfabeto Político

“O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.
O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio dos exploradores do povo”. (Bertolt Brecht)

 

Acordou Maby? Acordei! Sim, por muito tempo eu fui esse “analfabeto político”, adorava abrir a boca para proferir que odiava política e, queria crer, que isso era fruto da minha imaturidade.

Hoje em dia, um pouco mais velha, não perco a oportunidade de entender o cenário político do país. Embora, sinceramente falando, minha neutralidade antigamente se resumia a falta de informação e conhecimento mesmo.

Esse poema acima foi escrito pelo alemão Brecht e, simplesmente, traduz toda a importância do interesse que deveríamos depositar sobre as questões políticas.

É preciso entender que não podemos nos distanciar da realidade do mundo, como se as questões que afligem a sociedade nada tivessem a ver conosco. spoiler: Elas têm.

Ou seja, ao nos omitirmos, geramos uma certa ação social que não será benéfica para ninguém, muito pelo contrário, irá apenas “vendar seus olhos em meio as balas”.

Outro fato muito importante, é não nos deixarmos levar pelas mídias, não aceitar que irão fazer um discurso imparcial pois, muitas vezes, irá ocorrer manipulação de informações e você será apenas mais um alienado pelos interesses de outrém.

Vá em busca de informações; a internet, os livros de história, sociologia e filosofia estão aí pra isso. Leia e absorva! Faça suas conclusões sobre os mais variados assuntos de importância social e debata sobre o que você acredita, lute pela transformação das políticas públicas.

Então, ou você procura tomar consciência dos fatos, ou irão manipular você. Acha mesmo que política não é importante?

Desconstrução do amor romântico

Alma gêmea não existe! Sei que é duro de ler isso. Afinal, você cresceu assistindo contos de fadas, passou a pré-adolescencia vendo comédias românticas e vive enfiada em romances do Sparks ou de qualquer outro autor que conte uma história de amor à la romântico.

Não existe “o cara ou a garota perfeita”, ninguém é perfeito. Não existe essa de metade da laranja ou alguém que te complete porque você se basta e a outra pessoa também se basta.

É egoísmo jogar suas expectativas em cima do outro e querer uma “alma gêmea”, é a mesma coisa que ter uma listinha de “atributos ideais para meu par perfeito” e sair fazendo cheklist. Soa ridículo, não é?

Na verdade a pessoa que você tanto procura, aquela que vai fazer tudo por você e que vai entender todas as suas crises e gostar de todos os seus defeitos e infinitas coisas mais, só existe na sua cabeça.

Na verdade, exigir que alguém seja “o amor da sua vida” é exigir que essa pessoa não tenha vida, que essa pessoa não seja ela mesma. Que seja um reflexo moldado por você.

O que você tem esperado de um relacionamento? Você tem esperado que seja aquela coisa intensa e avassaladora? aquele amor à primeira vista? sem problema algum? então, você tem se iludido. Isso não existe.

“A mulher ou o cara da minha vida” isso é cilada, isso é egoísmo. Apartir do momento que você quer isso, você deseja uma extensão de você mesmo, dos seus desejos e passa a anular a essência de quem está contigo. Se você for a mulher dos sonhos de alguém você simplesmente não vai ser você, vai ser alguém que o outro imaginou. Você entende isso?

É preciso entender que temos defeitos, falhas, limitações e que por isso, ninguém é perfeito. Mas eu sei que todo mundo quer acreditar que em um relacionamento você tem que ser “perfeito” um pro outro, suficiente. A questão é: NÃO EXISTE A PESSOA PERFEITA! A pessoa dos seus sonhos nada mais é do que você mesmo. É preciso perceber que o amor não vem pronto, que você não vai esbarrar em alguém e crau, ela é a pessoa perfeita e felizes para sempre. PARA! Amor é construção…

8e46d75c8a022f8054dcee3ad9921bfe

A pessoa do seus sonhos é uma idealização, um ser inalcançável que não vai se realizar em nenhuma outra criatura existente. E não entender isso é o que faz com que tenhamos uma vida amorosa cheia de frustrações, a gente fica com aquela ideia doentia de amor hollywoodiano e quebra a cara. Já notou?

E desconstruir essa romantização do amor, não é ser frio. Desconstruir essa ideia é simplismente entender que não podemos depositar toda nossa ânsia de felicidade em cima do outro e perceber que não necessariamente você exclui o romance, mas sim essa “ideia” de romantização exagerada e doentia que foi criada ao longo do tempo. Você não exclui o romance, mas o coloca na sua realidade. Entenda isso, entenda que amor é construção diária e que você e a pessoa que você ama estarão felizes enquanto estiverem dispostos a construir.

Aprender a conviver com “o jeito” do outro é amor.

Não é não.

Por muito tempo eu tive receio de dizer “não” as pessoas, pra mim era como se fosse um parto e na verdade meio que ainda é. Hoje em dia, consigo melhor lhe dar com isso, embora ainda me atolo toda só pra ajudar quem precisa. Mas, não é sobre isso que eu quero falar na verdade, eu quero falar sobre aquele “não” que você dá com toda convicção e que não aceitam. É, não aceitam!

Mês passado estive em uma festinha com uns amigos, a maioria casais e eu lá segurando um castiçal, coisas dessa vida… Mas, de qualquer forma, estava me divertindo. Bebendo vodka, dançando muito e flertando com quem me interessava.

Só que, tive uma raiva danada naquela noite, um cara muito chato e que não aceitou o meu não. E desviar de cara babaca é bem difícil. Ficou boa parte da festa me seguindo e querendo me forçar a dançar com ele. Segurava na minha cintura, aparecia por trás de mim e ficava bostejando no meu ouvido e ele queria a todo custo que eu aceitasse. Acabou estragando uma noite que estava sendo muito agradável.

Tudo bem, acho totalmente válido um cara que tem coragem de chamar uma garota pra dançar ou pedir pra conhecê-la melhor, mas não forçar a barra é essencial. Porque não é não. Se ela disse “não”, faz o famoso “segue o baile” e vai se divertir. Deixa-a em paz!

Naquela mesma noite mais outros dois idiotas me irritaram por não aceitar o NÃO. Enquanto um jogou o famoso “fica se fazendo de difícil, aí é lasca” o outro insistiu umas 4 vezes que eu tive que jogar um “eu tenho namorado”, até quando isso?

Será que eles não param pra pensar que talvez, sei lá,  você só não quer mesmo?

Não é não! E não preciso me desculpar por isso, nem muito menos discorrer sobre o porquê. Não faça isso.

Não importa se é porque você tem namorado, se é porque você é lésbica, se você só quer curtir a festa, se você não tá no clima, se você prefere ficar com um alienígena do que com ele… enfim, não importa.

Não é não! E precisam entender isso.

a-curva-mais-bonita-da-mulher-sarcasmoteminino-e-aquela-que-ela-faz-pra-desviar-gaCTG.jpg

Se permita!

E você adormece no meu colo, o sofá de dois lugares não parece tão pequeno agora, parece até que foi feito sob medida para nós, seu suspirar sereno não me deixa olhar nada a não ser você, e é com momentos assim que vivemos, tão clichês, como um simples adormecer. E você me liga todos os dias, com a sua voz rouca e sedutora, sussurrando palavras sensíveis e rindo do que eu acho delas. Você sabe que apesar de achar batido, eu adoro suas ligações matinais só para avisar que ao acordar lembra de mim. Você consegue todos os dias fazer com que eu me apaixone ainda mais pelo seu sorriso frouxo, seu andar lento e despreocupado, como mesmo que tivesse um peso nas costas com as preocupações diárias, você escolhesse ignorar. Me prendo em cada detalhe minúsculo em ti, e parece que vou me perdendo em você, no seu cabelo loiro caindo sobre os seus olhos, e o movimento inconsciente que sempre faz para afastar alguns fios que insistem em ficar. Eu poderia apenas viver sentido seu toque lento e quente sob minha pele, fazendo-a tremer, as vezes penso que você consegue atingir a camada mais profunda que existe em mim. Seu beijo apaixonado e ardente  me faz esquecer tudo que está ao nosso redor, nos levando para outra dimensão. E foi você que me ensinou a se permitir, a cair de cabeça em um sentimento, sem se preocupar com o que pode acontecer, e antes de você eu não sabia o que era sentir, nem se doar para alguém sem pedir nada em troca, e para que pedir se tudo que você me dá já é suficiente. Então continua, apenas deita do meu lado e bagunça meu cabelo, me vence no vídeo game, e rir da minha cara, me sinta, me quebra em pedaços apenas com seu sussurrar e depois me concerta, se permite também, deixa esse compasso  nos levar devagar. Tu sente e eu sinto, e a gente se permite, permite amar, tocar, acalentar. E quando eu me perco só você consegue me encontrar.

 

Uma carta de amor para Jesus Cristo

“Luz do mundo, Jesus é a luz do mundo”

Quero separar esse tempo só pra dizer o quanto eu amo Jesus Cristo, quero eternizar em palavras esse sentimento. Já faz uns dias, me peguei pensando em mil e uma coisas as quais não posso ignorar, a bênção da vida que me foi dada é uma delas. Pode soar tão bobo e ingênuo, mas só quem já teve encontro com ele, pode me entender. Quem é Jesus? Jesus é aquele que me ensinou a amar, amar acima de todas as coisas. Jesus é aquele que curou, que ensinou a importância da fé, pregou o perdão  e que deixou seu coração parar de bater para que o meu pudesse pulsar. Jesus, você é a luz do mundo e quando me pego observando a imensidão do céu e da terra, eu confio nas tuas promessas. Fui lavada pelo teu sangue e por isso, sou livre! É, eu sou livre do meu egoísmo e livre para poder fazer a diferença, livre de religiosidade porque tu és minha morada e tu és o espelho da verdade. Tu és o caminho, a verdade e a vida, tu. Livre pra andar entre os ímpios e falar da tua palavra, livre pra fazer de mim templo e, ainda assim, ser eu. Sempre eu, do meu jeito instruída por ti. E eu não me importo de soar careta, nem muito menos em exaltá-lo, o que eu quero é adorar-te em espírito e em verdade. E voltar pra ti é sempre a melhor coisa que eu faço. Porque o meu sangue ferve na tua presença, a minha alma sente a tua presença e o meu coração anseia por ti. E o mundo é tão grande, e eu sou tão pequena e me recuso a não acreditar, sei que existe. Sinto. E as estrelas, os oceanos, e os astros e os ventos, é tudo tão bonito que por isso se parece tanto com o criador, e renova a minha certeza. Acho que aquela letra da canção do Sozo pode sempre falar por mim “Como eu posso entender os caminhos do amor que tens por mim? Conheces tudo que há e vês beleza em mim, és tão bom” Obrigada. Obrigada por me tirar de dias escuros, por ter me dado o direito a vida e me agraciado com essas pequenas grandes coisas as quais na correria do dia a dia, não consigo agradecer. Somos tão significantes pra ti diante da vastidão do universo, somos agraciados com a simples noção do viver, nem notamos isso. E sim, existe uma multidão de sentimentos entre nós. Obrigada por me amar, eu também te amo.

“Brilhou o sol tão lindo e me aqueceu depois da chuva que me encharcou, eu te agradeço. Só te agradeço. Por toda graça que me deu, todo amor que ofereceu.”

Com amor, Maby.

Yellow star- september

Parece uma lança sobre o peito e é difícil manter-se firme, intacta. a vida parece mesmo um moinho destruidor de sonhos, fazendo tudo virar pó e então os olhos imploram para que se fechem. mas, menina, vá com calma. não tenha pressa. o jardim da tua alma descuidado só precisa de uma coisa: florescer. pode chorar, chore mesmo. pode sentir o mundo desabando aos teus pés agarrada ao travesseiro, dorme pra deixar isso pra lá e no dia seguinte faça coisas sábias; se empanturre de brigadeiro, assiste uma comédia bizarra do Adam Sandler, ouve aquela música viciante que te faz dançar feito uma minhoca elétrica e escreve num papel “vai se foder, mal-estar do caralho” e mastiga, por favor. tritura essa dor até perceber que você tem poder sobre você mesma. florescer: verbo intransitivo fig. “tornar-se próspero, desenvolver-se, medrar”. e eu aposto que você nem sabe o que é medrar e que você tem um universo de coisas para aprender e descobrir ainda. você tem que ver aquele pôr-do-sol alaranjado e o rosinha mais uma vez e mais outra e outra… tem que ver as luzes de natal enfeitando a cidade, rir até a barriga doer porque essa sensação é ótima e eu sei que você sabe, você tem que ver se aquele seu shipp da série deu certo ou checar se existe alguém mais linda que você no espelho, garanto que contos de fadas nem existem e branca de neve está fora de cogitação. ei, vai por mim, se amar faz uma baita diferença e dizer isso a si mesma no espelho requer ousadia e coragem, depois disso, você está pronta pra conquistar o mundo. como você se vê é assim que o mundo te vê, como você tem se visto?
e o mundo segue empilhando pesos nos nossos ombros, eu sei. tem um buraco bem ali ó, uma onda querendo afogar e pensamentos negativos que não param. d-e-s-v-i-a menina, desvia desse buraco sombrio que quer te engolir por inteiro. um obstáculo de cada vez, mas ter consciência que a vida nunca vai ser 100% justa ou boa. é necessário cair do cavalo às vezes e ralar o joelho, o coração e a cabeça. tire o melhor disso, lições. não pilha, respira. A vida vai triturar alguns sonhos teus e de outras milhões de pessoas no mundo, vai mesmo deixar ela te acabar por isso? vai mesmo se dar por vencida? eu conheço um ditado que diz que “cada vez que alguém desiste, uma estrela no céu se apaga” e eu não sei você, mas eu adoro observar as estrelas, elas me fazem lembrar que mesmo em meio a escuridão a gente pode brilhar. brilha, brilha, brilha estrelinha. Deixa tua luz amarela acesa.

💛💛💛🌻🌻🌻🌟🌟🌟🌟🌟🌟🌟☇☇☇

Relacionamento abusivo: não é porque você não vê sangue que não te fere

Certo dia fui visitar uma amiga minha. amigona de infância, daquelas que a gente coleciona um baú de histórias loucas e desgraçadas pra contar e relembrar. O tempo passou e se afastamos um pouquinho depois que seguimos faculdades diferentes, mas veja bem, quando nos encontramos é a mesma coisa, nada mudou. Pois bem, a danada estava em um relacionamento com um carinha de outro estado, eles se conheceram na internet e acho que isso definitivamente já se tornou muito normal. Entre uma vinda e outra dele pra visitá-la e vice-versa ela jurou que estava naquele “mar de rosas“, toda boba apaixonada. Fiquei feliz por ela naquele momento, até porque se alguém que eu amo está feliz automaticamente eu estarei junto. Muito pouco tempo depois logo me arrependi, o cara era na verdade um Babaca. É, babaca com b maiúsculo mesmo.

13315743_1117505534962126_6359652787817816495_n

Achei estranho quando notei que na página do Facebook dela não tinha mais nenhuma foto dela e que foram todas trocadas por imagens de flores e que seus amigos foram reduzidos a uns 10 no máximo, achei estranho que seu contato do whatsapp mostrasse mais flores e que quando ela colocava uma foto linda de si mesma, no instante seguinte, retirava. Claro, fui lá meter a colher. Queria entender o que estava acontecendo e na maior naturalidade-de uma pessoa ingênua- ela simplismente falou “Ah, meu namorado que retirou tudo do meu facebook. Ele disse que tem ciúmes”, na hora eu fiquei congelada, ele estava a isolando, o quê?

original-3298-1492025241-2.jpg

Pois bem, o traste tinha a senha de todas as redes sociais dela e controlava tudo, não queria foto dela nem no whatsapp e pior, manipulava a menina pra fazê-la sentir-se agradecida aos céus por conhecê-lo. Ele dizia que ela era linda demais e que tinha que ser só dele e que ele era só dela (mas a senha dele ele não deu, né?), ele ligava todos os dias com hora marcada e não parava enquanto ela não atendesse e curiosamente a primeira pergunta era “o que estava fazendo? com quem você estava?”, o “tudo bem?” mandou lembranças. Presenciei muito isso quando a visitava.

7

Mas como toda pessoa estupidamente apaixonada, meus conselhos ela não ouviu, continuou lá achando aquilo tudo normal. Idealizando o cara, exaltando o que ela via de melhor. Algum tempo depois-mais do que eu teria sido capaz de suportar-eles terminaram. O crapula havia traído ela e ela descobriu porque ele tinha dito que apagou a conta do facebook, mas na verdade, isso não tinha acontecido. Detalhe: ele tinha apagado a dela. Mas enfim, entre toda essa reviravolta e tudo mais, ela caiu em si e percebeu o Babaca que ele sempre foi e enfim terminou com ele, chorou as pitangas (as quais não deveria), mas gente apaixonada é a bixiga mesmo. Hoje já tá lá, toda apaixonadinha de novo por outro cara que conheceu na internet e eu aqui torcendo pra que não seja outro abusivo.

1*gVCnWiQDe4yBFZw9Cj3o3w

Pois bem, moças, pensa só comigo: ele não te bate, mas não te deixa usar shorts curtos porque tem ciúmes e acha que tem domínio sobre seu corpo. ele não te bate, mas não deixa você cortar o cabelo porque não gosta de mulher com cabelo curto. ele não te bate, mas te manipula pra você não descobrir as merdas que ele faz e pra você procurar defeitos em si mesma. ele não te bate, mas fuça toda a sua privacidade e se pudesse, controlava até o ar que você respira. Ele não te bate, mas não deixa você sair com seus amigos. Isso é ABUSO sim.

ele-nao-te-bate.png

Isso fere você e você nem percebe, fere não só sua dignidade como pessoa, como ser humano, mas fere seu psicológico aos poucos e machuca. E não, não é porque eles não se viam todo dia e eles se conheceram na internet ou toda essa lista de desculpas estúpidas que a sociedade cria pra defender gente babaca. Quando se entra na vida de alguém e esse alguém te deixa se instalar lá na alma, o mínimo que você deve a essa pessoa é respeito. Outro fato muito interessante é que ambos são evangélicos de uma das igrejas mais rigorosas que há, isso me fez perceber o quanto ninguém está imune a esse tipo escroto de gente e me fez notar, também, como existem pessoas que se escondem atrás de uma religião pra pagar de bom samaritano. E a sociedade vai seguindo assim… “lobos em pele de cordeiro”, pessoas que romantizam relacionamento abusivo e moças que se submetem a isso sem perceber, e quando percebem, serão injustiçadas e gritarão para elas “bem feito, tava com ele por que quis. ninguém te obrigou a nada”. Porque a culpa nunca é dele, né? E a sociedade vai achando que controle sobre a vida do outro é normal. Não, não é. Relacionamento abusivo não é só sobre agressão física, mas também sobre o desejo de posse de uma pessoa para com outra.   Liberte-se!

tumblr_lkpe0jjhgj1qzl7pko1_5001.jpg

 

 

Universo particular

Tu me convida para uma dança e o meu coração já tropeça. Você pode ouvir ele bater? Parece que ele toca alguma coisa especial e você apenas sorri desarmado. E você tem esse cabelinho negro e os olhos tão expressivos, e por que eu reparo esses detalhes? Tenho vontade de toca-lo a todo momento. Você tem um riso frouxo, um caminhar tão peculiar e nem nota o quanto é belo. Às vezes eu dou risada por você se achar esquisito. Você nem sabe o quanto me fascina. E as casas de uma rua deserta me fazem pensar, será que lá dentro existe alguém tão apaixonado feito eu? ou esse universo particular é todinho invenção da minha cabeça? então você arranca uma flor e destrói as pétalas jogando-as em mim despreocupado, é que você já me deu centenas delas e eu sempre digo o quanto clichê isso é e, agora, você só faz pra me irritar. E a gente conversa sobre os discos da nossa banda favorita e no instante seguinte alguém falou lava jato e depois Netflix e depois George Martin, a conversa nunca acaba. E seus braços ao redor de mim parecem abrigo pra eu morar, talvez você seja casa nessa estação e eu fico torcendo pra que dure e dure mais. Você é uma galáxia distante do mundo e tão perto de mim que eu mal consigo respirar, e quando o sol aparece lá fora e teus olhos incendeiam aqui dentro é tão bonito que Van Gogh se tivesse te conhecido transformaria em arte. Como se você fosse mesmo uma arte, você decora a minha vida e mais que isso, você toca minhas emoções. Ninguém te ver suspirar como eu, você suspira baixinho quando escuta o barulho da chuva e posso jurar que seu olhar vagante esconde alguma prece. Tenho certeza que o que você pede é necessário. E só você repara na minha calmaria e no meu jeito de amar alguém ou alguma coisa, você percebe que é estranhamente peculiar e mesmo assim você gosta de mim, você não se afasta. Tu agride aquilo que agride e chora quando o mundo devia chorar e eu acho isso tão bonito que eu tenho pena de quem não se permite sentir, nenhum pouquinho… quando você me beija as estrelas do céu parecem desmoronar aos meus pés ou eu subi até ele? só vejo brilhar. E o teu gosto é tão doce quanto selvagem. E por que os teus olhos me convidam pra tua alma? e tu desnuda a minha sem me tocar, então eu acho mesmo que esse universo particular é todinho seu e meu. Porque eu ouço a tua voz e ela soa como felicidade e antes de tocar a minha pele você já tinha tocado minha alma.

 

01:06am about you

eu te idealizei e imaginei você tão grande mais tão grande que até o universo pareceu encolher.
e todas aquelas conversas ficam em minha memória porque eu tenho a sensação que ela gosta de me ver acabada. bem acabada.
mas agora eu posso descer um pouquinho e sair de perto de você, te observar de longe e vê que nós nunca daríamos certo mesmo
olha pra mim, meio patética…
eu sou urgente, e talvez na minha pressa arredia eu sufoque as pessoas, talvez eu cause ventania exagerada e caos onde deveria ter calmaria. e tudo bem. é, tudo bem. eu até entendo. às vezes nem eu mesma me aturo, às vezes eu mesma me afogo. as vezes me afogo em um pires e isso me mata. de verdade.
eu juro que eu tentei deixar pra lá e, na verdade, estou tentando e até me assusto quando já me pego fazendo outras coisas que não envolva pensar em você.
e eu até sai pra dançar na noite, tomar porres de vodka e beijar bocas por diversão, mas quando me pego no amanhecer me sinto sufocando em mim mesma. de novo e de novo. porque essa não sou eu.
e é tão estúpido. tornar alguém universo é muito estúpido. querer fitar olhos e enxergar galáxias é estupido. se machucar e ver que há apenas isso, dor…isso é real.
mas eu te idealizei, eu pensei que você fosse diferente e no final das contas acho que não existe isso.
não, não existe.
eu sei, existem pessoas e suas histórias, e é só isso.
mas você entrou como uma estrela em mim, cintilante e cintilante…
eu quase implorei pra que você não me deixasse de novo e no fim você fez a mesma coisa e foi tão difícil engolir o maldito orgulho.
tudo bem, as borboletas no meu estômago morreram de hipotermia e meu coração já nem bate como antes, me acostumei a sua ausência e me saciei do seu silêncio.
eu só não entendi o porquê e não entender consegue ser pior que qualquer coisa.
aquela história com reticências que mexe tanto com os pensamentos e d-r-o-g-a-, c-a-r-a-m-b-a eles não param. não param nunca.
mas tudo bem, eu sei que o final está mais próximo que antes e isso já é muito.

Ah, isso com certeza já é muito. Que venha os finais, ainda que infelizes eles são melhores que esse roteiro ruim que ainda assombra por aqui e então me dê espaço para novas histórias.

Sinto muito

Você já sentiu a sensação de ouvir Eric Clapton e sentir-se liberta? você só quer dançar, deixar pra trás toda a penumbra de dor existente aí em seu peito e imaginar a sua co-existência num sentido mais elevado, você é um pedaço de vida em toda a vastidão do planeta e você é real.
É, você é real.
Você já sentiu a sensação de ouvir os pássaros da tarde enquanto a cidade se aquieta lentamente e os feixes de luz do céu passam por seus cabelos? Você pensa “poxa, a vida é bela pra caralho” e os pássaros cantam ali com você fazendo corais de gratidão ou você quer que assim seja.
Já sentiu o quentinho do coração ao visualizar um pôr do sol? ele consegue te tornar poeta, filósofa, esperançosa… consegue renovar seus ânimos e trazer aquela paz pra alma, não é?
Já sentiu a sensação de tocar a pele de quem se ama? O quanto a urgência em amar floresce e aquilo que era sutil de repente se transforma em necessidade e o mundo fica distante, lá fora… pequenininho, porque aqui só há a imensidão dos teus olhos castanhos.
sentiu o quanto sentir é bom? você já notou o quanto é agraciado por isso? enquanto se sente você vive, enquanto se sente o seu pedaço faz parte de um lugar, de alguém… enquanto se vive, você é o instante seguinte, a nota daquela canção favorita, o trecho do livro da cabeceira, a passagem do filme que te fez chorar porque você é sensível e sentir, sentir é viver.
Já pensou que enquanto se vive você deixa marcas, “suas marcas” e embora você logo seja esquecido pós morte, aqueles a quem você trouxe pra sua alma e deixou se instalar, lembrarão de você até que não reste mais nenhum sinal dos seus trejeitos, gostos e desgostos ali e pode apostar que algo sempre lembrará você. Sim, esse é o presente dado aqueles que se permitem sentir.
Seja grato por isso, e sinta. Sinta muito.

Setembro amarelo

Precisamos falar sobre suicídio! Você sabia que segundo ranking da OMS (organização mundial de saúde) em 2014 o Brasil ocupava a oitava posição no número de suicídios?  Pois é…  Por isso, surgiu nesse mesmo ano o Setembro amarelo.

A estimativa atual é de 1 suicídio a cada 45 minutos, na maior parte cometido por jovens de 15-29 anos. Pelo menos 90% dos suicídios tem relação com problemas mentais…

wpid-wp-1473278883205

De um tempo pra cá a pauta tem tomado maior visibilidade, isso se deu em especial ao fato do comentado jogo “baleia azul” e por meio de algumas produções cinematográficas que ganharam destaque entre os jovens, como “13 reasons why”, com o assunto tornando-se inevitavel e saindo enfim das escuras, hoje os pais e os amigos conseguem melhor identificar alguém que precisa de ajuda.

Infelizmente algumas pessoas ao invés de ajudar, só sabem julgar. Uma pessoa que pensa em suicídio geralmente está com depressão e depressão NÃO É FRESCURA! Depressão mata! 

Geralmente essas pessoas começam a se afastar aos poucos dos amigos e familiares, geralmente elas perdem o interesse por coisas que gostavam de fazer (como ler, escrever, ver tv etc etc), prefere ficar na cama o dia todo ou mesmo, quando sai geralmente está distante de todos e triste. Mas, não se engane, alguns que estão sofrendo com a depressão conseguem sair e colocar uma espécie de “máscara social”, a sós é que eles se definham aos poucos. Se arrastando silenciosamente…

Em geral, os sintomas são esses:

As pessoas podem ter:
No humor: ansiedade, apatia, culpa, descontentamento geral, desesperança, mudanças de humor, perda de interesse, perda de interesse ou prazer nas atividades, solidão, tristeza, tédio ou sofrimento emocional
No comportamento: agitação, automutilação, choro excessivo, inquietação, irritabilidade ou isolamento social
No sono: despertar precoce, excesso de sonolência, insônia ou sono agitado
Na cognição: falta de concentração, lentidão durante atividades ou pensamentos suicida.
No corpo: fadiga ou fome excessiva
Sintomas psicológicos: depressão ou repetição insistente de pensamentos
No peso: ganho de peso ou perda de peso
Também é comum: abuso de substâncias ou falta de apetite

O nosso compromisso maior é ser sempre gentil. Que tal elogiar alguém que você admira? ou mesmo sorrir pra um estranho? Dar bom dia nunca é em vão e ser gentil é um presente que você pode oferecer ao mundo, a gente nunca sabe das lutas internas que o outro carrega.

Setembro amarelo é o movimento de prevenção contra o suicídio, mas nós podemos e devemos ajudar o ano todo!

Não tolere bullying com você ou com outra pessoa, não pratique também! Não brinque com o sentimento das outras pessoas, se coloque no lugar delas. Não seja rude, não seja agressivo, não seja intolerante!

Esse é o melhor vídeo que encontrei sobre depressão! Entenda e ajude quem precisa!

 

Deixa eu contar pra vocês que teve um momento em minha vida que eu tive começo de depressão e pelo histórico da minha família isso já era absurdamente comum, nesse momento meus amigos e a fé (com toda certeza o vínculo com Deus, no meu caso) foram de fundamental importância para que eu não me afundasse e percebe-se o quanto a vida poderia ser bela. E olha, só! De lá pra cá eu já vivenciei tanta coisa linda que se eu não estivesse aqui eu mesma me mataria já morta (haha). Então, vai por mim. A dor passa… Muitas histórias virão.

Ei, e você que notou alguém diferente sua ajuda é sempre bem-vinda.

Não deixe nunca de demonstrar que se importa com alguém. Eu sei que em meio a correria diária é difícil, mas para um pouquinho e respira, pensa o quanto você é agraciado por viver e ter um mundo todinho pra descobrir e se redescobrir, como você é agraciado por pessoas que ama ao seu redor, demonstre.

Screenshot_20170904-163903.png

Bom,  se está difícil pra você aí e agora, aguenta firme e não pensa JAMAIS em excluir a canção, você pode até dar uma pausa na música, mas depois volta a tocar por favor. Vai por mim, a dor passa, quantas vezes você viu o fim do mundo? quantos você sobreviveu? Você é forte e você dá conta! Amanhã é outro dia, não vamos deixar uma dor presente aniquilar tantos sorrisos futuros. Ok? A vida te espera, não desperdice-a.

 

Cigarettes After Sex – Martha Medeiros

MEU DEUS DO CÉU AMADO! Quero ser amiga dessa mulher, sério! Pra ontem. Estou sempre lendo crônicas e uma das minhas escritoras favoritas quando o assunto é cotidiano, é a Martha.

Me deparei com essa crônica maravilhosa que ela fez depois de ouvir Cigarettes After Sex (banda deusa do universo), já não bastava eu saber que ela é fã do Pearl Jam, do Woody Allen e que ela amou Na natureza selvagem assim como eu, né? Gente, alguém faz ela me notar porque seriamos as melhores amigas da galáxia (tenho certeza)

Enfim, passado essa minha histeria (na verdade não passou não), vamos ao que interessa e então vocês já podem se deliciar com essa leitura enquanto ÓBVIO, podem ouvir a banda também. Tudo aqui! ❤

Crônica:

“Acho que você vai gostar. É como uma brisa entrando pela janela.” Era o que dizia o e-mail. Apenas essas duas frases e um link, enviados por um leitor que eu não conhecia e do qual não lembro o nome. Normalmente, eu deletaria sem conferir, mas alguma coisa, da ordem do inexplicável, fez com que eu abrisse aquele link que poderia conter um poema enfadonho, uma foto apelativa ou, risco fatal, um vírus que detonaria meu computador. Mas o que havia ali era o som de uma banda chamada Cigarettes After Sex. Desde então, não consigo deixar de escutá-la um só dia.

Foi novidade pra mim, mas talvez não pra você, já que este grupo surgiu em 2008, no Texas, e atingiu o reconhecimento em 2015, no Brooklyn. De qualquer forma, tivemos nossa primeira vez no início deste ano, e falar em primeira vez, neste caso, se justifica, sendo Cigarettes After Sex um título tão sugestivo.

Pouca gente fuma hoje em dia, e, se fuma, é expulso do ambiente quando se atreve. Portanto, o famoso cigarro depois do sexo deixou de ser um hábito para virar um clichê, mas mantém seu significado: após o gozo, é a vez do suspiro – aquele que Mario Quintana disfarçava entre uma tragada e outra.

O cigarro pode ter se tornado metafórico, mas o relaxamento é real. Um relaxamento que uma amiga minha, ao escutar as canções que recomendei, confundiu com tristeza. Ora, o pós-sexo só é triste quando você não está com quem deseja. Se é de amor que falamos, o momento que vem depois da finalização do ato só pode ser comparado com plenitude, languidez, entorpecência. A vida em modo de espera antes de se reconstituir.

Cigarettes After Sex é a tradução musical da penumbra do quarto, do suor dos corpos, dos poros abertos, dos lençóis amarfanhados, da calcinha no chão, das taças vazias. Cigarettes After Sex é câmera lenta, preguiça, sussurros, o barulho da cidade trazendo vestígios longínquos de outro planeta. Cigarettes After Sex é quando se presta atenção no formato das espaldas, na penugem da coxa, nos fios de cabelo grudados no pescoço de quem está ao nosso lado na cama. Cigarettes After Sex é quando o relógio para, não é dia nem noite, o celular se mantém silencioso e os problemas se aquietam também. É aquele instante sublime em que não somos pessoa física nem jurídica – apenas espiritual. Cigarettes After Sex é a beleza do nada, a pulsação da calma, a sensualidade do que já aconteceu.

Uma brisa que entra pela janela e nos conduz a alguns minutos de entrega à nossa própria ausência saciada.

Feminismo pra que?

Vez ou outra sempre escuto alguém me questionar “feminismo pra que?” e logo em seguida vem vários ataques de argumentos nada formulados sobre o movimento.

“feministas são todas histéricas”, “ir pra guerra ninguém quer”, “homens não recebem salário maternidade”, “mulheres se aposentam primeiro” e tantas outras bostejações que a gente apenas revira os olhos e tenta seguir em frente.

Pois bem, vou te dizer pra que serve o feminismo e dizer também que existe uma galerinha aí, as  “feminazi” que não representam o movimento, ok?

O feminismo antes de tudo e qualquer coisa, prega apenas a igualdade de gênero porque somos mulheres e consequentemente seres humanos e por isso merecemos direitos iguais (difícil compreender isso?).

Nós precisamos do feminismo quando uma mulher tem a mesma função de um homem no trabalho e mesmo assim recebe menos que ele (sem nem contar que sim, a mulher ainda cuida da casa e dos filhos s-o-z-i-n-h-a em pleno século XXI, raras exceções), nós precisamos do feminismo quando as mulheres são descriminadas no mercado de trabalho e as oportunidades decaem ainda mais quando elas são mães  (será que perguntam aos homens se eles tem filhos?), precisamos também quando notamos que os afazeres domésticos são voltados apenas para as mulheres e é claro que deveria existir uma responsabilidade de igual pra igual entre homens e mulheres (mas é bem mais comum notarmos que os homens quando ajudam esperam pelo menos um agradecimento/recompensa. ué, é tão difícil assim usar suas pernas e braços pra manter a casa limpa e organizada?)

O feminismo também é de extrema importância para sabermos que qualquer ato sexual sem consentimento é estupro. Nenhum homem tem o direito de dispor sexualmente de uma mulher contra a vontade dela e NUNCA É CULPA DA VÍTIMA!

E sim, assédio na rua é violência é abuso, sim. Toda mulher tem o direito  ao espaço público (e também ao transporte público) sem ser constrangida, humilhada, ameaçada e intimidada por assediadores.

É importante ressaltar que as mulheres não devem ser representadas na mídia com estereótipos que nos desumanizam ou ajudam a nos oprimir, jamais. Sem contar, que a luta feminista é também contra os padrões de beleza que são impostos dia após dia. Temos que contemplar toda a sua diversidade: somos negras, brancas, indígenas, albinas, magras, gordas, baixas, altas, homossexuais, bissexuais, heterossexuais, com ou sem deficiência etc. E o feminismo prega a importância da empatia e do empoderamento feminino, não devemos ser “inimigas” uma das outras e sim, nos unirmos e ajudar sempre que possível a outra.

O feminismo também trabalha o espaço das mulheres em todos os campos: ciência, cultura, política, educação etc a voz da mulher precisa ser ouvida e valorizada. Suas opiniões, histórias, ideias e ideais precisam de espaço e não serem descartados pelo fato de serem proferidas por mulheres.

Mulher não “tem que” nada, se não quiser. Isso vale para ser “amável” ou falar palavrão, fazer sexo ou não fazer, se depilar ou não depilar, usar cabelo grande ou curto, “encontrar um homem” ou ficar solteira, sair com vários caras ou preferir mulheres, ter filhos ou não ter, gostar de maquiagem ou não (e por aí vai em todas as regras que cagam ou possam vir a cagar sobre nossas vidas).

O feminismo prega apenas uma conscientização acerca do espaço feminino e do quanto nós precisamos estar sempre atentas, infelizmente é uma luta diária e carregada por séculos que aos poucos conquistam batalhas, mas infelizmente está longe de vencer a guerra.

Por isso, feminismo!

Vou deixar aqui em baixo os desenhos da Nath Araújo que são maravilhosamente empoderadores e você pode acompanhar o trabalho dela pelo insta @natharaujo

 

 

Como superar um coração partido- Poema

como superar um coração partido sem tentar
primeiro
não faça nada
torne-se um com seu sofá
comendo pilhas inteiras de oreos como se fossem torres de sentimentos
assista as adaptações de Jane Austen até seus olhos virarem passas
aprecie Colin Firth emergindo de um lago em uma camisa branca
se você deve fazer algo
beba!
mas mantenha a classe
ponha seu vinho barato num copo
você não é um pirata!
fale sozinha
fale sozinha no espelho
no transporte público
no meio da fonte do shopping
porque há coisas que você nunca conseguiu dizer
você não precisa engoli-las
faça um tinder!
faça da sua foto de perfil um modelo e não fale com ninguém
só continue passando até que tenha L.E.R
desse jeito você pode rejeitar 50 pessoas por minuto e vai parecer como matar formigas
com barriga tanquinho
beije o máximo de pessoas que precisar pra tirar a marca dos lábios dele do seu cérebro
vá em museus
e perceba que outras coisas têm histórias também
jogue esconde-esconde com seu sono R.E.M
você não sabe qual é pior
acordar de pesadelos em que seus lados se abriram ou de sonhos com ele segurando a sua mandíbula como se significasse algo pra ele
poderia também grudar suas pálpebras na testa
porque, pelo menos, você pode mentir pra si enquanto acordada
fique acordada até 3:00, 3:30, 4:00
faça chá com as bolsas embaixo dos seus olhos
escreva!
escreva até usar cada metáfora do seu acervo
comece a usar a mesma sempre e sempre
porque há tantas maneiras de descrever estar destruído
mas uma vez que você chegar lá
isso é só a base
em seguida, colete todas as fendas da sua corrente
faça uma armadura e leve ela pra batalha
pegue o nome dele
aquele que ainda dói dizer
e use como grito de guerra
então chore de verdade
porque não há nada vergonhoso em limpar seus olhos
não se levante
não fique bem
porque desilusões não são sobre estar bem
é sobre lembrar que você estava bem antes
é sobre falar
foda-se estar bem!
é sobre pegar todos os seus pedaços
e construir pra si um castelo, porque não me importa quem você é
você é uma rainha!
é sobre falar
foda-se esse poema!
ninguém supera um coração partido
eu construi uma sala do trono
com caixas de pizza e embalagens vazias
e eu não consigo parar de chorar em cima do meu cup moodles
mas um dia
vou chorar uma fonte de juventude
vamos voltar ao começo
estou cansada de dicas de auto-ajuda
e de incentivos amigáveis
eu bebo garrafas, garrafas e garrafas
fingindo que suas bocas pertencem a outra pessoa
mas cansei de sentir pena de mim mesma
porque se desculpar por amar até explodir-se?
minha capacidade de sentir não precisa de perdão
meu coração não precisa de reparo
eu não estou despedaçada
eu só estou um pouco mais
explosiva!

Aprecie em vídeo também:

XERO!

tumblr_m08krlgqka1qaspk8

Ei, eu estava viva

eu podia ouvir as batidas do meu coração golpear meus ouvidos, minha cabeça… e os instantes que se seguiram foram de alguma coisa agridoce sobre a minha língua, eu encontrei no peso da vida um bocado de incertezas e certezas, comecei a me assistir despedaçando no ar e virando cinzas de um passado que precisava morrer. e a vida fica se fazendo de imatura e me cutuca dizendo “ei, é pra crescer, viu?” ela diz que eu tenho que ser forte e berra comigo “mais uma vez! mais uma vez!”, quantas vezes mais?
ontem e hoje muito provavelmente você ainda passou pela minha cabeça, inevitavelmente eu pensei sobre o que te tornou tão especial pra mim e ainda parece uma piada sobre mim mesma, eu apenas dou um riso triste. melhor colocar pra debaixo do tapete. você quis ir mais uma vez. já deu.
algumas coisas precisam ser trocadas de lugares, alguns medos precisam ser domados, eu preciso sim crescer e crescer requer uma porrada de sacrifícios.
deixar doer, se permitir sentir e tantas coisas mais sobre estar viva, não é algo que dê pra evitar e nem algo pra querer se desculpar. por que a gente tem a mania miserável de se culpar pelo sentir? e isso não é assim tão nobre e muito menos justo.
deixa ser, seja explosiva e seja infinita. dane-se as convenções e dane-se as imposições que lhe são colocadas, a vida é bem mais que isso.
ontem eu amadureci um pouquinho mais e hoje mais que ontem, e eu disse “ei, moça, pra quê isso?” e enquanto assistia a uma série de tv me permiti um paralelo à minha vida e assim como Daenerys eu digo dracarys e deixo queimar aquilo que não vai me servir e assim também como Samuwell, eu me recuso a sentar e assistir os outros serem melhores, eu também sou. você também é.
então corra, vá em frente e pense em você, vá em frente e não se diminua pra caber nas expectativas alheias, caiba nas suas, viva as suas.
eu podia ouvir os pássaros cantando pela manhã na minha janela, eu estava viva.

eu podia ouvir os carros e as casas acordando na cidade, eu estava viva.
eu podia ouvir a musica lá no fundo tocando, o rádio ligado e as notícias chegando, eu estava viva.
eu podia ouvir as batidas do meu coração golpear meus ouvidos. ei, eu estou viva e você?

O casamento- Antonio Prata

Dia desses eu recitei um trechinho dessa crônica no stories do meu insta @maby_ferr (quem me acompanha por lá ouviu), hoje resolvi mostra-la completa aqui. Aproveitem.

“Quando o Cassiano me chamou pra falar aqui, na cerimônia, eu lembrei do dia que a gente se conheceu, na fazenda de uns amigos dos nossos pais. Ele devia ter uns oito, nove anos. Tinha um cabelo cuia, loiro, e andava pra lá e pra cá com um tecladinho Casio debaixo do braço: era uma versão um pouquinho mais moderna do Schroeder, aquele personagem do Snoopy. Mas o que eu mais lembro daquela viagem não é da dupla Cassi & Casio. É de uma noite na salona da fazenda, quando o Alexandre (seu pai) chamou ele no meio dos adultos e perguntou:

– Cassiano, qual foi o único conselho que eu te dei, nessa vida?

E o garotinho de cabelo cuia, que já devia tar acostumado a responder àquela pergunta pôs a mão à frente, assim, num gesto teatral, e disse:

– Seja louco, meu filho!

Ainda bem que um dos primeiros mandamentos dos filhos é frustrar as expectativas dos pais, e quando eu comecei e ler os textos do Cassi na Folha, eu pensei: xi, o Alexandre deve tá desapontado! Mas só há pouco mais de um ano eu tive certeza que o meu amigo ia mesmo ignorar o único conselho paterno. Foi quando ele me apresentou a Carol e disse, essa é a minha namorada. Ali eu saquei: ele tava no caminho certo. Ela é linda, gente fina, inteligente, a família dela faz goiabada, o que mais que um homem pode querer?

De louco portanto, o Cassiano não tinha nada. Ou… Será que tinha? Enquanto eu escrevia esse texto, fiquei pensando naquela cena da fazenda, lá por 1983, pensei na geração dos nossos pais e na nossa e comecei a achar que talvez eu tivesse errado. Que talvez, pra quem nasceu nos anos setenta, filho da geração que foi hippie, que morou em comunidade, que queimou sutiã e o escambau, a verdadeira loucura seja essa: o casamento. A gente não foi criado pro compromisso, nem pra doação. Somos uma bola dividida entre os hippies e os yuppies: de um lado, o discurso libertário, do outro, o individualismo.

Não é à toa que hoje em dia, quando se fala em amor, os versos que mais surjam sejam os últimos do soneto da Fidelidade, do Vinícius: “Que não seja eterno, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure”. São versos lindos, claro, mas eu sempre achei que evocar eles no começo de uma relação envolve 50% de lirismo e 50% de picaretagem. Como assim, “que não seja eterno?” Se você ama, a primeira coisa que deseja é que seja pra sempre, não? Pra que abrir a porta de entrada já de olho na porta da saída? Eu também implico com o “posto que é chama”. A chama é algo que nos queima, é ela o agente da ação, nós somos o objeto, a lenha. Longe de mim remendar o Vinícius, mas acho, ou na verdade, espero, que a gente tenha um papel um pouquinho mais ativo numa relação amorosa. Que possa alimentar essa chama, botar mais lenha na fogueira, abanar o fogo. Por isso sempre achei que a parte mais bonita do Soneto da Fidelidade não é o final, mas o começo: “De tudo ao meu amor serei atento, antes.” Essa máxima devia tá colada nos vidros dos carros, nos espelhos dos banheiros, devia tá escrita nas faixas dos caminhões, o ministério da saúde tinha que mandar imprimir nos maços de cigarro e os chineses deveriam incluir nos biscoitos da sorte: “De tudo ao meu amor serei atento antes”. Antes do trabalho, antes dos compromissos sociais, antes do dinheiro, do sucesso e de todas as outras imposições egoístas da nossa época, o amor. Essa é a verdadeira loucura. Por isso que, terminando, eu desejo a vocês a mesma coisa que o Alexandre desejava pro Cassiano, lá por 83: sejam loucos, meus amigos!

De tudo, ao amor de vocês sejam atentos antes e façam o que tiver ao alcance pra serem felizes para sempre! O senhor já pode beijar a noiva”