Resenha do filme: O filme da minha vida

Sinopse: O jovem Tony decide retornar a Remanso, Serra Gaúcha, sua cidade natal. Ao chegar, ele descobre que Nicolas, seu pai, voltou para França alegando sentir falta dos amigos e do país de origem. Tony acaba tornando-se professor e vê-se em meio aos conflitos e inexperiencias juvenis.

Data de lançamento 3 de agosto de 2017 (1h 53min)
Direção: Selton Mello
Elenco: Johnny Massaro, Vincent Cassel, Bruna Linzmeyer mais
Gênero: Drama
Nacionalidade: Brasil

 

 

Resenha:

Acabei de assistir e estou naquele estupor, puro êxtase. Fazia era tempo que eu não conseguia essa sensação ao assistir algum filme.

349690

Selton Mello saiu da tv faz alguns anos, dedicando-se ao cinema e em O filme da minha vida, ele além de atuar é diretor também.

A sutileza lírica que o filme carrega é o que nos transporta. Além do mais, o ator/diretor brinca com os paralelos de brutalidade e fantasia e consegue trazer um ar de melancolia que se transfigura em tons escuros na fotografia, os aspectos vintage das roupas de época, a partida do pai para França e o quanto isso aflinge o protagonista e aquele tom sulista dos anos 60…

O charme sonhador que Tony Terranova (Johnny Massaro), professor em uma escolinha emite em contra posto com seu amigo Paco (Selton Mello) que é totalmente rude e pé no chão, faz com que vejamos ambiguidades e  passemos a entender esses lados tão opostos.

filmedaminhavida_4

A sonoridade é maravilhosa. As músicas são colocadas em um plano de fundo que por vezes dá vida as cenas sem diálogo, são canções que vão desde a jovem guarda até os clássicos da música francesa, o que dá um certo charme e ajuda a entender melhor a melancolia que ronda Tony e a ausência causada por seu pai.

O filme ainda conta com outros nomes de peso, como Bruna Linzmeyer que tem aquele par de olhos azuis e uma beleza exótica dando graciosidade à personagem, ainda que atuando de maneira mais contida. Sua irmã ganha vida pela atriz Bia Arantes, que apesar de quase não ter espaço no filme surpreende lá pelo fim.

Mas, o show mesmo fica por conta do Massaro, ele parece declamar poemas ao falar e sua paixão por cinema é um encanto à parte. Passa-se até uma leve impressão que ele é um ator francês. Selton Mello aparece de forma meio caricata, seu personagem tem um tom de voz imponente e tenta emitir diálogos poéticos ou filosóficos, porém as vezes não soa natural. Uma pena que, apesar do filme ser tão bem dirigido, de ter uma fotografia maravilhosa, trilha e atores realmente bons. O filme da minha vida não é necessariamente o filme da minha vida, o pecado está no enredo. Volta e meia parece apenas uma novela da Globo e isso incomoda, porém não tanto.

5918672_x720

Se você é apaixonado por poética e um drama. O filme da minha vida pode ser o filme da sua vida. Que tal?

 

 

Dia do professor: 3 filmes

Hoje é 15 de outubro e comemora-se o dia do professor, como sou professora e sei o quão importante é o papel do professor na sociedade e o desafio que é ser um professor do século XXI. Decidi trazer 3 filmes com professores que inspiram, para lembrarmos sempre o papel do professor e sua importância. Feliz dia 15 a todos os professores.

1- Sociedade dos poetas mortos 

sociedade-dos-poetas-mortos-eua-1989

O novo professor de Inglês John Keating é introduzido a uma escola preparatória de meninos que é conhecida por suas antigas tradições e alto padrão. Ele usa métodos pouco ortodoxos para atingir seus alunos, que enfrentam enormes pressões de seus pais e da escola. Com a ajuda de Keating, os alunos Neil Perry, Todd Anderson e outros aprendem como não serem tão tímidos, seguir seus sonhos e aproveitar cada dia.

2- Escritores da liberdade

erin-gruwell-professora-e-os-escritores-da-liberdade.html

Em Los Angeles, uma dedicada professora de uma escola dividida por raças ensina uma turma de alunos adolescentes que apresenta problemas de aprendizagem. Ela tenta inspirá-los a acreditarem em si mesmos e a atingirem o sucesso, pois estão prestes a serem reprovados.

3- Preciosa (uma história de esperança)

maxresdefault

Grávida de seu próprio pai pela segunda vez, Claireece “Preciosa” Jones de 16 anos, não sabe ler nem escrever e sofre abuso constante nas mãos de sua mãe. Instintivamente, Preciosa vê uma chance de mudar de vida quando ela tem a oportunidade de ser transferida para uma escola alternativa. Sob a orientação firme e paciente de sua nova professora, Sra. Rain, Preciosa começa a viagem da opressão para autodeterminação.

Carpe Diem! ❤

5 coisas para parar de fazer

Esses dias me deparei com uma imagem que listava 5 coisas para parar de fazer e notei que estava mais para 5 conselhos que você deveria levar pra vida toda, analisei todos os cinco e concluí que precisava compartilhar com vocês. Por isso, resolvi lista-los aqui e comentar. Espero que gostem.

Screenshot_20171011-130941
Essa é a imagem: tirei print do meu status mesmo hahaha

1- Tentar agradar a todos: Coloque uma coisa na sua cabeça: É impossível agradar a todos. Impossível.  Bom, seja você mesma e de resto, as pessoas que realmente se importam com você estarão sempre ao seu lado (sei que soa clichê, mas é fato). Sempre vai ter alguém pra opinar, distorcer ou empinar o nariz para você, mas não ligue pra isso. Só seja uma boa pessoa, mas não perca tempo tentando provar que é.

2- Temer a mudança: Vez ou outra sempre vejo amigas ou parentes que se conformam com uma situação (que não é legal) pelo simples fato de ter medo de mudar. Arriscar-se a mudanças é dar chance a novos ares, é preciso sim coragem e isso, requer ousadia. Falo de mudanças significativas-não um corte de cabelo-é preciso coragem pra mudar de emprego, arriscar-se a um intercâmbio, mudar de cidade, sair de um relacionamento desgastante e enfim, coragem é preciso. Mudanças são necessárias.

3- Viver no passado: Essa é uma das mais cometidas. Gente, sério! O passado não tem nada mais pra oferecer (já ofereceu: experiência), é hora de deixar ele lá quietinho e seguir a vida. A gente não percebe, mas viver no passado acaba nos paralisando e isso não é bom. Viva o agora, planeje o futuro e deixe o passado pra trás.

4- Colocar-se pra baixo: Vamos falar mais um vez sobre auto-estima? Amor-próprio? Nem vem, colocar-se pra baixo é assinar um contrato com a resignação. Enteda de uma vez por todas: Você é o personagem principal da sua vida. Sua história depende mais de você do que qualquer pessoa. Então, ânimo e nada de ficar pensando negativo.

5- Pensar demais: Já notou que a gente acaba sempre perdendo oportunidades por pensar demais? Aí a gente volta ao passo 1. Perdemos na maioria das vezes por medo do que vão pensar de nós, agradar a todos? Roubada. Às vezes pensar demais só nos frusta. Tudo bem, é importante ter antes de tudo consciência dos fatos e certeza sobre nossos desejos, anseios e tudo mais. Porém, pensar demais nos pilha e no final das contas só nos deixa com dúvidas. Então, não pilhe tanto.

Inspiração: 3 detalhes que fazem diferença na foto

Hoje é dia de separar umas tranqueiras aí e treinar umas poses legais, porque é dia de fotografar, baby.

Está sem ideias para suas fotinhas? Bom, separei algumas delas para vocês usarem e ousarem na hora do clik. Espero que gostem e se divirtam.

1- Usem glitter, usem muito! É hora de purpurina hahaha, brilhinhos sempre dão um charme, né?

inspiração-fotos-com-glitter-brilhpinspiração-fotos-com-glitter-brilho

 

2- Aproveita e faz o combo gliter+penteado legal. O resultado fica bem tumblr.

d7420a10d636dc52a66d8dcf2adafce7--unicorn-face-makeup-unicorn-nail-art

d1590fcea36d3907021657ba907d01d9--alien-halloween-costume-alien-costumes

3- Que tal usar tinta colorida? É, aquelas tintas de aquarela. (Atenção: Faz uma sujeirinha danada, então se certifique sobre espaço e roupas)

E aí, gostaram das dicas?

Resenha do filme: O lado bom da vida

Data de lançamento: 1 de fevereiro de 2013 (2h 02min)
Direção:David O. Russell
Elenco:Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Robert De Niromais
GêneroComédia dramática
Nacionalidade:EUA
Sinopse:  Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) perdeu quase tudo na vida: sua casa, o emprego e o casamento. Depois de passar um tempo internado em um sanatório, ele acaba saindo de lá para voltar a morar com os pais. Decidido a reconstruir sua vida, ele acredita ser possível passar por cima de todos os problemas do passado recente e até reconquistar a ex-esposa. Embora seu temperamento ainda inspire cuidados, um casal amigo o convida para jantar e nesta noite ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma mulher também problemática que poderá provocar mudanças significativas em seus planos futuros.
Resenha:

Baseado no livro do Matthew Quick e tendo indicações ao Oscar, teve estréia lá em 2013 e eu só assisti ontem. Estava lá, na lista faz décadas e eu procastinando, mas em todo caso assisti e me perguntei “Por que raios demorei tanto?” 

7h1l7itwhfdiiubkji530u962

O filme é um drama que conta a história de Pat (Bradley Cooper), um ex professor substituto de história que foi internado em um hospital psiquiátrico após um surto doentio de bipolaridade ao encarar sua esposa o traindo.

O filme começa então com a mãe do Pat “Dolores” ficando aos cuidados dele ao passo que ele está sendo liberado da clínica. Pat, por sua vez, está destinado a recuperar sua esposa Nikke e mostra-lá que está bem e que mudou.

Lá vai ele ler os livros que Nikke passa para seus alunos, pois não entende como sua ex mulher, que também é professora, passe livros com finais tão infelizes, ele está totalmente certo de que existem finais felizes e seu novo lema é “excelsior.”

Pat acaba conhecendo sua vizinha Tiffany (Jennifer Lawrence) uma mulher rude, recentemente viúva e ex ninfomaníaca em recuperação. Ambos acabam fazendo um trato, Tiffany o ajudaria a recuperar sua esposa e ele participaria de um concurso de dança com ela.

o-lado-bom-da-vida-original

No meio disso tudo, a gente percebe que o lado bom da vida é um filme cheio de nuances corriqueiras. Os acontecimentos são rápidos, as reações contidas e ainda assim, nós encaramos um núcleo familiar disfuncional. O Robert DeNiro atuando como o pai supersticioso e obssevivo, maravilhosamente. Até mesmo, conhecemos outro nucleo familiar caótico; o amigo do Pat que está deixando o casamento ir de mal a pior. E, percebemos, ainda assim como a vida pode ter um lado bom, isso se dá em especial ao momento em que Pat se reconhece na loucura da Tiffany ou quando seu pai se abre pra ele, dizendo o quanto se arrepende por não ter passado tempo suficiente com ele na infância. E notamos que a vida sinceramente não precisa ser perfeita até porque ela não é e nunca vai ser, mas sempre haverá um lado bom. Um lado, não todos.

O que falar da trilha sonora? Led zeppelin, Stevie Wonder, White Stripes embalam várias cenas e trazem uma ótima sensação, citações como Metallica e Megadeth também rondam o filme.

Ah, li por aí que o Matthew Quick (ex-professor) decidiu escrever “O lado bom da vida” após a mãe de um aluno ligar para ele preocupada com o conteúdo trágico e infeliz dos livros clássicos de literatura norte-americana. O que nos leva a uma cena muito interessante no filme, Pat decide ler o romance que sua ex mulher considera “o maior romance já escrito” , adeus as armas de Ernst Hemingway o que causa até uma cena engraçada ao ver a reação do Pat que acredita piamente em finais felizes e se depara com um trágico fim no romance.

600

Mas, nem tudo é tão dramático e melancólico assim, o Clímax fica lá pelo fim com o concurso de dança e a reação com a nota que eles tiraram (cômico? Sim, muito) e claro, “a sua loucura parece um pouco com a minha” já dizia Clarice Falcão ou como diria minha mãe “um louco reconhece outro”, e lá está o climax em puro êxtase para nos sentirmos agraciados com tanta sensibilidade. Enfim, é um filme que vale apena assistir.

Look do dia: Street Style

Olá, Olá e Olá

Meu, já faz um tempinho que eu não posto look do dia, pior que é mais por preguiça que qualquer outra coisa.

Mas, fiz uma experiência nova, me deu a louca das loucas e entrei nessas lojinhas baratinhas com 50 reais e disse “Quer saber? Aposto que consigo montar um look bonito com apenas 50 contos” e, agora, estou mostrando ele pra vocês. É, pasmem, gastei só 50 contos em 2 peças de roupa. Logo, eu? mereço palmas! hahaha

 

 

IMG_20171006_094245_425

 

 

20171005_114220

IMG_20171007_104148_474

Kmsnsh

IMG_20171007_123028_547

Eaí, me sai bem? Gostaram?

Ps. ignorem que eu tô só um palmito (magrela e branquela)

Moletom & Short: sem marca / Sandália: Arezzo / bolsa: C&a

 

 

 

Na fila do supermercado – Marina Colasanti

Estava eu na fila do supermercado chegando à caixa com um carrinho cheio de compras, quando ela veio com algumas poucas coisas na mão e perguntou se podia passar à minha frente. Respondi, com um sorriso, que melhor seria ir duas caixas mais para lá, na fila de urgência para pessoas com poucas compras. Respondeu, quase com violência, que se ela quisesse ir para a outra caixa já teria ido, estava me pedindo para passar à minha frente, só isso.
A esta altura eu já começava a descarregar o carrinho, e me dei conta de que ela havia pedido permissão também a um jovem senhor que devia estar atrás de mim. O qual, incomodado com a violência com que ela havia me respondido, disse que agora, tendo sido ela grosseira comigo, não daria o seu lugar.
Ela fechou a cara, e permaneceu impávida entre o homem e eu.
Era vagamente loura, vagamente pálida, vagamente acima do peso. Não sei que idade teria, evitei olhá-la.
Logo, minhas compras haviam passado todas, eu ia tirando a carteira da bolsa. Então, algo rompeu-se dentro dela, e eu a vi espalmar as mãos na bancada de inox e gritar:”Não aguento mais! Não aguento mais!”.
Abaixava e erguia a cabeça, dava socos na bancada, agitando o tronco. “Não aguento mais! – repetia aos brados- Estou cansada!….. Cansada! “.
Eu a olhava sem saber se devia abraçá-la, dizer-lhe alguma coisa, tentar apaziguá-la. Pareceu-me que não. Aquilo era um ato individual, um transbordamento que nada tinha a ver conosco, que de alguma forma nos ignorava. Não era um pedido de ajuda.
Ninguém se moveu, embora as cabeças se voltassem na sua direção. Os gritos dela ecoavam no supermercado. E os socos no inox. Entre as exclamações, em estilhaços de palavras entendeu-se que cuidava de uma irmã doente. Cuidava dela sozinha. Repetiu várias vezes “Sozinha!”.
Os mais próximos se entreolhavam, sem saber se era um surto que necessitaria do atendimento de um profissional, ou apenas uma rachadura provocada por exaustão.
Alguém pediu água. Há sempre alguém que pede água quando outro alguém sai da normalidade. E a água materializou-se, copo de plástico trazido por uma gerente. Temi que ela o varejasse com a mão, mas nem o tomou nem o recusou, talvez, tão voltada para dentro de si mesma, não o visse. Mas, seja pelo copo, seja pelo gesto, a tensão pareceu baixar.
Disse ainda, agora falando mais baixo, que ninguém cuidava dela, que com ela ninguém se importava, era só trabalho e mais trabalho cuidando dos outros, tudo com ela, sempre com ela, e para ela nada.
A gerente perguntou onde morava, ofereceu-se para mandar alguém acompanhá-la até em casa. Ela sacudiu a cabeça negando companhia.
Respondeu, mais para si mesma do que para a outra, que estava na hora do almoço da irmã, que tinha que ir, que estava tão, tão cansada. Em seguida pagou suas poucas compras, e saiu para o sol da calçada.
Nós ficamos ali, deglutindo a cena através de comentários que só serviam para isso, para diluir aquela entrega involuntária, a visão dolorosa da ferida exposta. Ninguém tinha respostas a dar. Só perguntas , conjecturas e inquietação.
Tivesse eu dado a ela o meu lugar na fila, é quase certo que não haveria ruptura. Sem encontrar obstáculos, ela passaria pela caixa como qualquer outro cliente que compra e paga, sem que nada a distinguisse dos demais. Aqueles gritos, aquela revolta que sequer tentamos acalmar, teriam passado por nós insuspeitados, trancados num corpo de mulher semelhante a tantos. E, no silêncio do supermercado, não seriamos levados a refletir sobre nossa insuficiência frente ao sofrimento alheio.

Amor-próprio: Um sentimento pra cultivar

Amor-próprio:  substantivo masculino 1.1 Sentimento de dignidade, estima ou respeito que cada qual tem por si mesmo.

O famoso amor-próprio é citado constantemente por todo mundo, a maioria das pessoas insistem em dizer que o tem, mas será que nós temos mesmo amor-próprio?

Bem, creio que amor-próprio vai muito além do “eu não vou correr atrás de ninguém” ou do orgulho que propagamos diante das várias questões na nossa vida, a gente fica se sentindo a rainha do amor-próprio quando isso acontece, né?

Mas, amor-próprio vem antes de tudo, em nossa auto-aceitação em nos avaliarmos e percebermos quem somos, qual é a nossa história, o que queremos e pretendemos ser e, com isso, nos aceitarmos e lidarmos bem com o fato do “esse sou eu”, quem você é? Você respeita o seu eu?

Ok, não quero dizer que todo mundo vai/deve estar 100% satisfeito consigo mesmo, não. Choque de realidade, né? Mas uma coisinha ou duas, OK. Só que você não pode abandonar o prédio por causa de uma rachadura. A gente tem que aprender a lidar e trabalhar com as nossas fraquezas e limitações (e digo isso interiormente), e imperfeições externas? O que é isso? Quem inventou?

A coisa mais linda é quando você tem auto-confiança e isso, vai além do ser magra-alta-loira-olhoazul (padrão? Que?)

Passei muito tempo pra entender isso, vivia incomodada com o fato de ser magra-aqui no nordeste isso não é tão legal-mas e daí que não é? quem tem que achar bonito ou não? É, acho que euzinha de melo. Hoje, me sinto muito bem com o meu peso-que é genético-e percebo que essa minha confiança e aceitação exala pra outras pessoas. Eu sou linda, sou maravilhosa, sou um mulherão da porra. E você? Quem você é?

Ame suas curvas como elas são , ame seus ossinhos, ame seu cabelo cacheado, crespo, liso ou ondulado, ame seu tom de pele e sua voz. Se ame. Ame e perceba que irão perceber o quão incrível você é! Se liberte dos rótulos, se liberte da pressão que jogam em cima de você e note que a única pessoa que tem que se importar é você!

Pronta (o), pra começar a praticar o amor-próprio?

Ela usa rosa, mas também ama rock and roll

Já dizia o ícone Paul Simonon, do The Clash, “Pink é a verdadeira cor do rock’n roll” e ainda tem gente na década 2000 insistindo em estereótipos quando falamos de música? Principalmente rock and roll…

Sempre escutei comentários esteriotipados, principalmente na fase adolescente. Quem nunca? “Ah, pra gostar de rock só pode usar preto”, “Paga de roqueiro, mas usa rosa?”, “Rosa é cor de mulherzinha” e tantas outras idiotices escutadas!

Primeiro, cor não escolhe e nem define gênero. Segundo, tudo bem você querer usar preto dia e noite e noite e dia, tudo bem você se encher de tatuagens e fumar um beck. Tudo bem você ter alargadores, piercers e não sorri para ninguém. Tudo bem mesmo, é estilo. Mas, roqueiro, em minha opinião se traduz ao simples fato do “me identifico com esse som”.

tumblr_o1lbcfVmDq1sthf15o1_500

O rock é pra ser sentido. E tudo bem você usar verde, amarelo, azul ou rosinha. Tudo bem você ser apaixonada por gossip girl e ainda assim, se amarrar num rock and roll. Tudo bem ser você mesma e assim, romper com esses estereótipos absurdos que tentam impor.

Aliás, grandes astros do rock desfilaram por aí suas roupitchas rosas e não deixaram de ser bons naquilo que fazem: rock.

Quem nunca viu o Mick Jagger, o Eric Clapton, o David Bowie ou o Paul McCartney usando terninho rosa? Até o moço Harry Styles que lançou um álbum vibes Beatles tava aí desfilando charme de rosinha bebê.

Então, está na hora de começarmos a destruir rótulos e passar a ter uma visão mais aberta sobre as pessoas. Por que eu que uso preto 24hrs por dia posso ser um roqueiro, mas minha amiga “barbie” que passa 24hrs de rosa ouvindo Iron Maiden, não?

Ora, faça-me o favor, vocês cagam regras demais na vida.

Wonderful Wonderful- The Killers

Enquanto aqui no Brasil a gente acompanhava o surgimento do ritmo “Ragatanga”, Brandon Flowers e seu trio de parceiros oriundos da famosa Las Vegas dava início lá em 2002 ao grupo The Killers. Emplacando sucessos como “Somebody told me” e “Mr. Brightside”, a banda tinha como inspiração the smiths, Joy Division e New Order.

Wonderful Wonderful é o quinto álbum da banda e foi lançado no dia 22 de setembro (deste mesmo ano dãã), o quinto álbum consegue voltar ao auge dos anos 2000. Com uma sonoridade dançante dos anos 80, Brandon nos mostra que ainda é possível ser tão bom quanto antes.

O sucessor deste álbum foi o Battle born, que dividiu opiniões entre os fãs e deixou muito a desejar. Porém, nos presenteou com faixas como “Here with me” e “Runaways”.

Depois desse quase passo para o buraco negro da existência musical que foi Battle Born, Brandon manda ver e traz aquela atmosfera dançante dos anos 80 e um tom psicodélico em algumas canções.

Wonderful Wonderful é a primeira faixa e nos empolga com aquele ar apocalíptico, usando acordes de guitarras logo de início que conferem a lembrança das bandas de rock clássico.

the-killers-wonderful

Os singles The Man e Run for cover nos traz um som mais pesadinho, embora tenha aquela misturada de batidas que conferem um ritmo dançante que só o The Killers sabe fazer.

Mas é claro que o álbum tem aquelas músicas mais down, porque é necessário sofrer ou pensar em mil fitas olhando pras paredes então “Rut”, “life to come” e “some king of love” estão aí pra isso.

Aliás, queria registrar que para mim a santa trindade deste álbum é “Some King of love”, “The Calling” e “Have All The Songs Been Written?”

Por que? Além de carregarem letras super complexas, a sonoridade é v-i-c-i-a-n-t-e e com certeza eu fiz questão de ouvir umas 30 vezes, só hoje.

Tudo bem, sei que The man e Wonderful Wonderful se tornaram as queridinhas, mas eu queria registrar meu gosto.

Enfim, depois de 5 anos sem lançar álbum o The Killers ressurge como uma fênix e traz o seu velho som de rock com batidas eletrônicas bem new wave e, fazendo jus ao título.

Corre lá no spotify e escuta até umas horas… hahah

 

A arte não tem padrões

Recentemente a exposição do Santander deu o que falar, mas não irei me ater a isso, já vi vários posts por aí á respeito (sei que vocês também). Irei deixar aqui minha breve opinião sobre o que eu penso das artes e da cultura (ambas andam lado a lado), pra que vocês possam tirar suas conclusões à respeito das manifestações artistico-culturais existentes em nosso mundo. Lembrando que é apenas a minha opinião.

Arte seria então, uma produção que significa sensibilidade, um produto da imaginação do artista e sua finalidade seria a contemplação do belo (porém, não só do agradável, do prazeroso).

A cultura por outro lado, seria tudo aquilo que a partir da existência humana, carrega um significado: linguagem, símbolos, valores, comportamentos, “obras de arte” enfim, por aí.

A questão é simples, a partir da expansão do capitalismo criou-se então uma ideologia cultural, onde a cultura virou indústria também. Com isso, a cultura ficou submetida ao “lucro” e daí, as obras de arte viraram meras mercadorias.

Um dos pensamentos que exprimem o que acredito vem da filósofa e professora Marilena Chauí, ela diz:

“A indústria cultural vende cultura. Para vendê-la, deve seduzir e agradar o consumidor. Para seduzi-lo e agradá-lo, não pode chocá-lo, provocá-lo, fazê-lo pensar. Fazê-lo ter informações novas que pertubem, mas deve devolver-lhe, como nova aparência, o que ele já sabe, já viu, já fez”.

Então, para mim, a arte ela pode e deve trazer críticas sociais e ao mesmo tempo, sensibilidade e expressão de emoções.

Aquela arte que não nos provoca, não nos choca, é apenas um produto de lucro e em suma, servirá em prioridade para decorar.

Por isso, creio que arte não deveria se ater a padrões impostos pela indústria, mas sim, ser uma criação que exprime aquilo que quer-se exprimir através do autor; seja isso, chocante ou não.

A ilustração de capa é do artista Pawel Kuczynski que tem diversos quadros (maravilhosos) nesta mesma pegada.

E vocês? O que pensam sobre arte?

Por que se interessar por política?

O Analfabeto Político

“O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.
O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio dos exploradores do povo”. (Bertolt Brecht)

 

Acordou Maby? Acordei! Sim, por muito tempo eu fui esse “analfabeto político”, adorava abrir a boca para proferir que odiava política e, queria crer, que isso era fruto da minha imaturidade.

Hoje em dia, um pouco mais velha, não perco a oportunidade de entender o cenário político do país. Embora, sinceramente falando, minha neutralidade antigamente se resumia a falta de informação e conhecimento mesmo.

Esse poema acima foi escrito pelo alemão Brecht e, simplesmente, traduz toda a importância do interesse que deveríamos depositar sobre as questões políticas.

É preciso entender que não podemos nos distanciar da realidade do mundo, como se as questões que afligem a sociedade nada tivessem a ver conosco. spoiler: Elas têm.

Ou seja, ao nos omitirmos, geramos uma certa ação social que não será benéfica para ninguém, muito pelo contrário, irá apenas “vendar seus olhos em meio as balas”.

Outro fato muito importante, é não nos deixarmos levar pelas mídias, não aceitar que irão fazer um discurso imparcial pois, muitas vezes, irá ocorrer manipulação de informações e você será apenas mais um alienado pelos interesses de outrém.

Vá em busca de informações; a internet, os livros de história, sociologia e filosofia estão aí pra isso. Leia e absorva! Faça suas conclusões sobre os mais variados assuntos de importância social e debata sobre o que você acredita, lute pela transformação das políticas públicas.

Então, ou você procura tomar consciência dos fatos, ou irão manipular você. Acha mesmo que política não é importante?

Desconstrução do amor romântico

Alma gêmea não existe! Sei que é duro de ler isso. Afinal, você cresceu assistindo contos de fadas, passou a pré-adolescencia vendo comédias românticas e vive enfiada em romances do Sparks ou de qualquer outro autor que conte uma história de amor à la romântico.

Não existe “o cara ou a garota perfeita”, ninguém é perfeito. Não existe essa de metade da laranja ou alguém que te complete porque você se basta e a outra pessoa também se basta.

É egoísmo jogar suas expectativas em cima do outro e querer uma “alma gêmea”, é a mesma coisa que ter uma listinha de “atributos ideais para meu par perfeito” e sair fazendo cheklist. Soa ridículo, não é?

Na verdade a pessoa que você tanto procura, aquela que vai fazer tudo por você e que vai entender todas as suas crises e gostar de todos os seus defeitos e infinitas coisas mais, só existe na sua cabeça.

Na verdade, exigir que alguém seja “o amor da sua vida” é exigir que essa pessoa não tenha vida, que essa pessoa não seja ela mesma. Que seja um reflexo moldado por você.

O que você tem esperado de um relacionamento? Você tem esperado que seja aquela coisa intensa e avassaladora? aquele amor à primeira vista? sem problema algum? então, você tem se iludido. Isso não existe.

“A mulher ou o cara da minha vida” isso é cilada, isso é egoísmo. Apartir do momento que você quer isso, você deseja uma extensão de você mesmo, dos seus desejos e passa a anular a essência de quem está contigo. Se você for a mulher dos sonhos de alguém você simplesmente não vai ser você, vai ser alguém que o outro imaginou. Você entende isso?

É preciso entender que temos defeitos, falhas, limitações e que por isso, ninguém é perfeito. Mas eu sei que todo mundo quer acreditar que em um relacionamento você tem que ser “perfeito” um pro outro, suficiente. A questão é: NÃO EXISTE A PESSOA PERFEITA! A pessoa dos seus sonhos nada mais é do que você mesmo. É preciso perceber que o amor não vem pronto, que você não vai esbarrar em alguém e crau, ela é a pessoa perfeita e felizes para sempre. PARA! Amor é construção…

8e46d75c8a022f8054dcee3ad9921bfe

A pessoa do seus sonhos é uma idealização, um ser inalcançável que não vai se realizar em nenhuma outra criatura existente. E não entender isso é o que faz com que tenhamos uma vida amorosa cheia de frustrações, a gente fica com aquela ideia doentia de amor hollywoodiano e quebra a cara. Já notou?

E desconstruir essa romantização do amor, não é ser frio. Desconstruir essa ideia é simplismente entender que não podemos depositar toda nossa ânsia de felicidade em cima do outro e perceber que não necessariamente você exclui o romance, mas sim essa “ideia” de romantização exagerada e doentia que foi criada ao longo do tempo. Você não exclui o romance, mas o coloca na sua realidade. Entenda isso, entenda que amor é construção diária e que você e a pessoa que você ama estarão felizes enquanto estiverem dispostos a construir.

Aprender a conviver com “o jeito” do outro é amor.

5 filmes na netflix- Parte 4

Tá vendo, aí? Dando continuidade a tag e ajudando vocês, aquele help maravihoso que todo mundo necessita quando abri a sua conta da netflix. Passar horas procurando filmes? Jamais, né? Maby está aqui pra ajudar vocês. (Ok, parei de me achar)

Os 5 filmes de hoje são “LITERATURA CLÁSSICA”, isso mesmo! Você que é amante de literatura assim como eu, não pode deixar de assistir essas adaptações literárias dos clássicos.

1- Orgulho e Preconceito (e todos os outros da Jane Austen que tem lá, até mesmo o filme da história de vida dela “amor e inocência”): 

Orgulho-e-Preconceito-2.jpg

A história de Elizabeth e Sr. Darcy já é bastante conhecida, escrita pela britânica Jane Austen, na netflix você encontra a adaptação sutil e fiel ao livro. Nos entregando uma história de amor que vence o orgulho e o preconceito, entregando também uma personagem feminina forte e sensível.

2- Jane Eyre 

Michael-Fassbender-as-Mr-Rochester-Jane-Eyre-2011-michael-fassbender-25911640-500-271

Adaptação da obra da inglesa Charlotte Brontë conta a história da jovem Jane que teve uma infância triste e agora, aceita um emprego de governanta (professora) e acaba se apaixonando pelo patrão que esconde um temível segredo. A fotografia é ótima e a história envolvente, apesar de não ser tão fiel ao livro.

3- O código da Vinci

codigo_2.jpg

O clássico de Dawn Brown ganha a adaptação cinematográfica que gerou polêmica ao apresentar suas teórias que se opõem ao cristianismo. Conta a história de um famoso simbologista, que foi convocado a comparecer no Museu do Louvre após o assassinato de um curador. A morte deixou uma série de pistas e símbolos estranhos, os quais Langdon precisa decifrar.

4- O morro dos ventos uivantes

000000000000000000000wuthering-heights-5.jpg

Quem não conhece? A obra de mais uma Brontë, a Emily no caso. Clássico até o topo. Heathcliff é um jovem adotado por uma rica família na Inglaterra. Com o tempo ele nutre uma obsessão por Catherine Earnshaw, sua irmã adotiva. Quando descobre que ela irá se casar, Heathcliff resolve fugir para fazer fortuna, de forma a no futuro retornar e conquistá-la.

5- O jardim Secreto

csm_8.16.15FF.Secret_Garden_1993_19_copy_3a5bd80f89.jpg

O clássico livro infantil da escritora Frances Hodgson Burnett, conta a história de Mary que é uma órfã enviada para morar com o tio em uma mansão cheia de segredos, lá ela conhece um primo doente e um jardim abandonado. Com certeza um clássico para assistir sem piscar.

Ps. Outro clássico disponível na netflix tem resenha aqui no blog “O retrato de Dorian Gray” , do Oscar Wild.

Não é não.

Por muito tempo eu tive receio de dizer “não” as pessoas, pra mim era como se fosse um parto e na verdade meio que ainda é. Hoje em dia, consigo melhor lhe dar com isso, embora ainda me atolo toda só pra ajudar quem precisa. Mas, não é sobre isso que eu quero falar na verdade, eu quero falar sobre aquele “não” que você dá com toda convicção e que não aceitam. É, não aceitam!

Mês passado estive em uma festinha com uns amigos, a maioria casais e eu lá segurando um castiçal, coisas dessa vida… Mas, de qualquer forma, estava me divertindo. Bebendo vodka, dançando muito e flertando com quem me interessava.

Só que, tive uma raiva danada naquela noite, um cara muito chato e que não aceitou o meu não. E desviar de cara babaca é bem difícil. Ficou boa parte da festa me seguindo e querendo me forçar a dançar com ele. Segurava na minha cintura, aparecia por trás de mim e ficava bostejando no meu ouvido e ele queria a todo custo que eu aceitasse. Acabou estragando uma noite que estava sendo muito agradável.

Tudo bem, acho totalmente válido um cara que tem coragem de chamar uma garota pra dançar ou pedir pra conhecê-la melhor, mas não forçar a barra é essencial. Porque não é não. Se ela disse “não”, faz o famoso “segue o baile” e vai se divertir. Deixa-a em paz!

Naquela mesma noite mais outros dois idiotas me irritaram por não aceitar o NÃO. Enquanto um jogou o famoso “fica se fazendo de difícil, aí é lasca” o outro insistiu umas 4 vezes que eu tive que jogar um “eu tenho namorado”, até quando isso?

Será que eles não param pra pensar que talvez, sei lá,  você só não quer mesmo?

Não é não! E não preciso me desculpar por isso, nem muito menos discorrer sobre o porquê. Não faça isso.

Não importa se é porque você tem namorado, se é porque você é lésbica, se você só quer curtir a festa, se você não tá no clima, se você prefere ficar com um alienígena do que com ele… enfim, não importa.

Não é não! E precisam entender isso.

a-curva-mais-bonita-da-mulher-sarcasmoteminino-e-aquela-que-ela-faz-pra-desviar-gaCTG.jpg

Citação musical: Arctic Monkeys

Nunca fiz post especial pro meu amor em forma de banda porque sei que muita gente já conhece-pelo menos acho- mas como a fã que eu sou, procuro um jeito de enfiar a banda por aqui em um post exclusivo, então… Separei os melhores trechos musicais da banda pra vocês usarem como legenda em fotos. Espero que gostem. Pensando até em fazer disso um hábito, com outros artistas.

“E os seus lábios são como a beira da galáxia
E seu beijo, a cor de uma constelação se encaixando”

“Segredos que eu mantive em meu coração
São mais difíceis de esconder do que pensei”

arctic-monkeys-shelter.jpg

“Tudo está em ordem em um buraco negro”

“Mas nada parece tão bonito como o passado”

 

“Para sempre não é para todos”

MI0003735664

“eu desmorono completamente quando você chora”

“Parece que mais uma vez você teve que me cumprimentar com um adeus”

 

“parece que aqueles caroços na sua garganta
Que você acabou de engolir te fizeram continuar”

 

“Estou preocupado em acabar esquecendo seu rosto”

“Estou começando a achar que te imaginei o tempo todo”

 

“Sons loucos em seus ouvidos fazem você se sentir bem”

profile-bigw314

“Me faça um favor, me mande embora!”

 

“As noites foram feitas especialmente para dizer coisas que não podem ser ditas no dia seguinte.”

Arctic-Monkeys-626x417.jpg

“Talvez eu esteja muito ocupado sendo seu para me apaixonar por outra pessoa”

Uma carta de amor para Jesus Cristo

“Luz do mundo, Jesus é a luz do mundo”

Quero separar esse tempo só pra dizer o quanto eu amo Jesus Cristo, quero eternizar em palavras esse sentimento. Já faz uns dias, me peguei pensando em mil e uma coisas as quais não posso ignorar, a bênção da vida que me foi dada é uma delas. Pode soar tão bobo e ingênuo, mas só quem já teve encontro com ele, pode me entender. Quem é Jesus? Jesus é aquele que me ensinou a amar, amar acima de todas as coisas. Jesus é aquele que curou, que ensinou a importância da fé, pregou o perdão  e que deixou seu coração parar de bater para que o meu pudesse pulsar. Jesus, você é a luz do mundo e quando me pego observando a imensidão do céu e da terra, eu confio nas tuas promessas. Fui lavada pelo teu sangue e por isso, sou livre! É, eu sou livre do meu egoísmo e livre para poder fazer a diferença, livre de religiosidade porque tu és minha morada e tu és o espelho da verdade. Tu és o caminho, a verdade e a vida, tu. Livre pra andar entre os ímpios e falar da tua palavra, livre pra fazer de mim templo e, ainda assim, ser eu. Sempre eu, do meu jeito instruída por ti. E eu não me importo de soar careta, nem muito menos em exaltá-lo, o que eu quero é adorar-te em espírito e em verdade. E voltar pra ti é sempre a melhor coisa que eu faço. Porque o meu sangue ferve na tua presença, a minha alma sente a tua presença e o meu coração anseia por ti. E o mundo é tão grande, e eu sou tão pequena e me recuso a não acreditar, sei que existe. Sinto. E as estrelas, os oceanos, e os astros e os ventos, é tudo tão bonito que por isso se parece tanto com o criador, e renova a minha certeza. Acho que aquela letra da canção do Sozo pode sempre falar por mim “Como eu posso entender os caminhos do amor que tens por mim? Conheces tudo que há e vês beleza em mim, és tão bom” Obrigada. Obrigada por me tirar de dias escuros, por ter me dado o direito a vida e me agraciado com essas pequenas grandes coisas as quais na correria do dia a dia, não consigo agradecer. Somos tão significantes pra ti diante da vastidão do universo, somos agraciados com a simples noção do viver, nem notamos isso. E sim, existe uma multidão de sentimentos entre nós. Obrigada por me amar, eu também te amo.

“Brilhou o sol tão lindo e me aqueceu depois da chuva que me encharcou, eu te agradeço. Só te agradeço. Por toda graça que me deu, todo amor que ofereceu.”

Com amor, Maby.

Yellow star- september

Parece uma lança sobre o peito e é difícil manter-se firme, intacta. a vida parece mesmo um moinho destruidor de sonhos, fazendo tudo virar pó e então os olhos imploram para que se fechem. mas, menina, vá com calma. não tenha pressa. o jardim da tua alma descuidado só precisa de uma coisa: florescer. pode chorar, chore mesmo. pode sentir o mundo desabando aos teus pés agarrada ao travesseiro, dorme pra deixar isso pra lá e no dia seguinte faça coisas sábias; se empanturre de brigadeiro, assiste uma comédia bizarra do Adam Sandler, ouve aquela música viciante que te faz dançar feito uma minhoca elétrica e escreve num papel “vai se foder, mal-estar do caralho” e mastiga, por favor. tritura essa dor até perceber que você tem poder sobre você mesma. florescer: verbo intransitivo fig. “tornar-se próspero, desenvolver-se, medrar”. e eu aposto que você nem sabe o que é medrar e que você tem um universo de coisas para aprender e descobrir ainda. você tem que ver aquele pôr-do-sol alaranjado e o rosinha mais uma vez e mais outra e outra… tem que ver as luzes de natal enfeitando a cidade, rir até a barriga doer porque essa sensação é ótima e eu sei que você sabe, você tem que ver se aquele seu shipp da série deu certo ou checar se existe alguém mais linda que você no espelho, garanto que contos de fadas nem existem e branca de neve está fora de cogitação. ei, vai por mim, se amar faz uma baita diferença e dizer isso a si mesma no espelho requer ousadia e coragem, depois disso, você está pronta pra conquistar o mundo. como você se vê é assim que o mundo te vê, como você tem se visto?
e o mundo segue empilhando pesos nos nossos ombros, eu sei. tem um buraco bem ali ó, uma onda querendo afogar e pensamentos negativos que não param. d-e-s-v-i-a menina, desvia desse buraco sombrio que quer te engolir por inteiro. um obstáculo de cada vez, mas ter consciência que a vida nunca vai ser 100% justa ou boa. é necessário cair do cavalo às vezes e ralar o joelho, o coração e a cabeça. tire o melhor disso, lições. não pilha, respira. A vida vai triturar alguns sonhos teus e de outras milhões de pessoas no mundo, vai mesmo deixar ela te acabar por isso? vai mesmo se dar por vencida? eu conheço um ditado que diz que “cada vez que alguém desiste, uma estrela no céu se apaga” e eu não sei você, mas eu adoro observar as estrelas, elas me fazem lembrar que mesmo em meio a escuridão a gente pode brilhar. brilha, brilha, brilha estrelinha. Deixa tua luz amarela acesa.

💛💛💛🌻🌻🌻🌟🌟🌟🌟🌟🌟🌟☇☇☇

Relacionamento abusivo: não é porque você não vê sangue que não te fere

Certo dia fui visitar uma amiga minha. amigona de infância, daquelas que a gente coleciona um baú de histórias loucas e desgraçadas pra contar e relembrar. O tempo passou e se afastamos um pouquinho depois que seguimos faculdades diferentes, mas veja bem, quando nos encontramos é a mesma coisa, nada mudou. Pois bem, a danada estava em um relacionamento com um carinha de outro estado, eles se conheceram na internet e acho que isso definitivamente já se tornou muito normal. Entre uma vinda e outra dele pra visitá-la e vice-versa ela jurou que estava naquele “mar de rosas“, toda boba apaixonada. Fiquei feliz por ela naquele momento, até porque se alguém que eu amo está feliz automaticamente eu estarei junto. Muito pouco tempo depois logo me arrependi, o cara era na verdade um Babaca. É, babaca com b maiúsculo mesmo.

13315743_1117505534962126_6359652787817816495_n

Achei estranho quando notei que na página do Facebook dela não tinha mais nenhuma foto dela e que foram todas trocadas por imagens de flores e que seus amigos foram reduzidos a uns 10 no máximo, achei estranho que seu contato do whatsapp mostrasse mais flores e que quando ela colocava uma foto linda de si mesma, no instante seguinte, retirava. Claro, fui lá meter a colher. Queria entender o que estava acontecendo e na maior naturalidade-de uma pessoa ingênua- ela simplismente falou “Ah, meu namorado que retirou tudo do meu facebook. Ele disse que tem ciúmes”, na hora eu fiquei congelada, ele estava a isolando, o quê?

original-3298-1492025241-2.jpg

Pois bem, o traste tinha a senha de todas as redes sociais dela e controlava tudo, não queria foto dela nem no whatsapp e pior, manipulava a menina pra fazê-la sentir-se agradecida aos céus por conhecê-lo. Ele dizia que ela era linda demais e que tinha que ser só dele e que ele era só dela (mas a senha dele ele não deu, né?), ele ligava todos os dias com hora marcada e não parava enquanto ela não atendesse e curiosamente a primeira pergunta era “o que estava fazendo? com quem você estava?”, o “tudo bem?” mandou lembranças. Presenciei muito isso quando a visitava.

7

Mas como toda pessoa estupidamente apaixonada, meus conselhos ela não ouviu, continuou lá achando aquilo tudo normal. Idealizando o cara, exaltando o que ela via de melhor. Algum tempo depois-mais do que eu teria sido capaz de suportar-eles terminaram. O crapula havia traído ela e ela descobriu porque ele tinha dito que apagou a conta do facebook, mas na verdade, isso não tinha acontecido. Detalhe: ele tinha apagado a dela. Mas enfim, entre toda essa reviravolta e tudo mais, ela caiu em si e percebeu o Babaca que ele sempre foi e enfim terminou com ele, chorou as pitangas (as quais não deveria), mas gente apaixonada é a bixiga mesmo. Hoje já tá lá, toda apaixonadinha de novo por outro cara que conheceu na internet e eu aqui torcendo pra que não seja outro abusivo.

1*gVCnWiQDe4yBFZw9Cj3o3w

Pois bem, moças, pensa só comigo: ele não te bate, mas não te deixa usar shorts curtos porque tem ciúmes e acha que tem domínio sobre seu corpo. ele não te bate, mas não deixa você cortar o cabelo porque não gosta de mulher com cabelo curto. ele não te bate, mas te manipula pra você não descobrir as merdas que ele faz e pra você procurar defeitos em si mesma. ele não te bate, mas fuça toda a sua privacidade e se pudesse, controlava até o ar que você respira. Ele não te bate, mas não deixa você sair com seus amigos. Isso é ABUSO sim.

ele-nao-te-bate.png

Isso fere você e você nem percebe, fere não só sua dignidade como pessoa, como ser humano, mas fere seu psicológico aos poucos e machuca. E não, não é porque eles não se viam todo dia e eles se conheceram na internet ou toda essa lista de desculpas estúpidas que a sociedade cria pra defender gente babaca. Quando se entra na vida de alguém e esse alguém te deixa se instalar lá na alma, o mínimo que você deve a essa pessoa é respeito. Outro fato muito interessante é que ambos são evangélicos de uma das igrejas mais rigorosas que há, isso me fez perceber o quanto ninguém está imune a esse tipo escroto de gente e me fez notar, também, como existem pessoas que se escondem atrás de uma religião pra pagar de bom samaritano. E a sociedade vai seguindo assim… “lobos em pele de cordeiro”, pessoas que romantizam relacionamento abusivo e moças que se submetem a isso sem perceber, e quando percebem, serão injustiçadas e gritarão para elas “bem feito, tava com ele por que quis. ninguém te obrigou a nada”. Porque a culpa nunca é dele, né? E a sociedade vai achando que controle sobre a vida do outro é normal. Não, não é. Relacionamento abusivo não é só sobre agressão física, mas também sobre o desejo de posse de uma pessoa para com outra.   Liberte-se!

tumblr_lkpe0jjhgj1qzl7pko1_5001.jpg

 

 

Universo particular

Tu me convida para uma dança e o meu coração já tropeça. Você pode ouvir ele bater? Parece que ele toca alguma coisa especial e você apenas sorri desarmado. E você tem esse cabelinho negro e os olhos tão expressivos, e por que eu reparo esses detalhes? Tenho vontade de toca-lo a todo momento. Você tem um riso frouxo, um caminhar tão peculiar e nem nota o quanto é belo. Às vezes eu dou risada por você se achar esquisito. Você nem sabe o quanto me fascina. E as casas de uma rua deserta me fazem pensar, será que lá dentro existe alguém tão apaixonado feito eu? ou esse universo particular é todinho invenção da minha cabeça? então você arranca uma flor e destrói as pétalas jogando-as em mim despreocupado, é que você já me deu centenas delas e eu sempre digo o quanto clichê isso é e, agora, você só faz pra me irritar. E a gente conversa sobre os discos da nossa banda favorita e no instante seguinte alguém falou lava jato e depois Netflix e depois George Martin, a conversa nunca acaba. E seus braços ao redor de mim parecem abrigo pra eu morar, talvez você seja casa nessa estação e eu fico torcendo pra que dure e dure mais. Você é uma galáxia distante do mundo e tão perto de mim que eu mal consigo respirar, e quando o sol aparece lá fora e teus olhos incendeiam aqui dentro é tão bonito que Van Gogh se tivesse te conhecido transformaria em arte. Como se você fosse mesmo uma arte, você decora a minha vida e mais que isso, você toca minhas emoções. Ninguém te ver suspirar como eu, você suspira baixinho quando escuta o barulho da chuva e posso jurar que seu olhar vagante esconde alguma prece. Tenho certeza que o que você pede é necessário. E só você repara na minha calmaria e no meu jeito de amar alguém ou alguma coisa, você percebe que é estranhamente peculiar e mesmo assim você gosta de mim, você não se afasta. Tu agride aquilo que agride e chora quando o mundo devia chorar e eu acho isso tão bonito que eu tenho pena de quem não se permite sentir, nenhum pouquinho… quando você me beija as estrelas do céu parecem desmoronar aos meus pés ou eu subi até ele? só vejo brilhar. E o teu gosto é tão doce quanto selvagem. E por que os teus olhos me convidam pra tua alma? e tu desnuda a minha sem me tocar, então eu acho mesmo que esse universo particular é todinho seu e meu. Porque eu ouço a tua voz e ela soa como felicidade e antes de tocar a minha pele você já tinha tocado minha alma.