Playlist: É hora de desidratar

 

Quanto tempo já faz que eu não crio uma playlist aqui no blog, né?
Pensaram que eu não ia mais deixar vocês na bad, né?
AAAAA que pena. to de volta. E como vocês podem ter percebido com o titulo, é hora de preparar os lencinhos, a manga da camisa mesmo, o travesseiro (whatever) e vamos fazer o que sabemos fazer de melhor, chorar pensando em mil fitas.

01- Lord Huron (the night we met)

“Eu tive tudo, e então quase tudo de você. um tanto, e então nada de você.”

02- Bob Dylan (to fall in love with you)

“Bem, meus nervos estão explodindo e meu corpo está tenso…Eu estava certo até eu me apaixonar por você”

03- Coldplay (always in my head)

“Eu penso em você, eu não tenho dormido eu acho que consigo, mas eu não consigo esquecer.”

04- Seafret (Oceans)

“E eu quero você de algum lugar dentro, parece que há oceanos entre mim e você mais uma vez”

05- Cigarrettes after sex (affection)

“Então o que significa se eu mandar você ir se foder? Ou se eu disser que você é lindo para mim.”

06- Varsity (so sad, so sad)

“Tão triste, tão triste eu nunca poderia fazer você ficar … Uma migalha em cima do meu prato leva a uma semana de choradeira.”

07- Cage the elephant (trouble)

“Em todos os lugares que eu olho eu pego um vislumbre de você”

08- T xx (angels)

“E o fim chega cedo demais como sonhar com anjos.”

09- Tom Odell (magnetised)

“Queria ter um pouco de mãe natureza em mim porque não está certo, estou magnetizado a alguém que não sente isso”

10- Youth (Daughter)

“Meus olhos estão marejados pelas palavras que você deixou ecoando na minha cabeça, quando você arrebentou meu peito.” (só digo uma coisa: essa música é um tapa na cara)

*Bônus (porque sempre faço isso hahah)

U2 (With or  without you)

“Nada a ganhar e nada mais a perder … com ou sem você”

Beijos e até mais.

Eu tenho uma boa memória…

lembra quando eu disse que tinha uma ótima memória e que isso era bom e ruim? pois é. eu só posso pensar nesse momento que não teria nada pior, como faz pra apagar as lembranças? porque eu ouso lembrar dessas coisas? quando criança minha memória não funcionava tão bem assim, lembro quando a minha mãe me pedia para que fosse ao mercado, eu ia convicta de que sem uma listinha escrita a mão conseguiria comprar todas aquelas coisas, mas eu sempre voltava no meio do caminho pra perguntar novamente; o que era mesmo?
agora, eu posso lembrar de cada detalhe seu. do seu modo de escrever certinho, das nossas piadas juntos, do que você me prometeu e do que a gente planejou juntos. parece que foi ontem até, é horrível.
às vezes eu desejava nunca ter te conhecido, me perguntava quais foram os caminhos que me levaram até você e por que. eu fiz uma lista infindável de possibilidades que tivessem me feito passar longe de ti, e quis acreditar que aquilo teria sido bem melhor. por que raios as pessoas entram na nossa vida e nos tiram pedaços? por que raios a gente sempre acredita que vai ser diferente? não, não é. e os milhares de passos que eu dou pra tentar ficar longe, de nada adiantam, e eu queria ter coragem de apagar você de todas as minhas redes sociais, mas de que me adiantaria se você continua vivo aqui dentro? e se eu não tenho tanto domínio sobre mim quando se trata de você. e eu sei que eu também errei e me culpo todos os dias por isso, mas eu nada posso fazer por não saber o quanto de mim você  guardou pra você, o quanto de mim você tem. e então é  aquele velho clichê do tempo, espera-se o tempo passar. certa vez eu li que a gente só consegue esquecer uma pessoa se apaixonando por outra, eu tenho tentado não conhecer ninguém por que você é a coisa mais linda que me aconteceu e me dói pensar até em te esquecer, mas se isso não é real, vou ficar esperando pra que um novo amor apareça assim do nada e bata em minha porta quando eu menos esperar, me quebre também, quem sabe… mas, pelo menos, você terá ido embora de vez e eu possa não lembrar de como você era tudo aquilo que eu queria, do quanto eu gostava de você e de como poderia ter sido melhor que isso.

Eu quero que você entenda

Em algum momento você vai entender que de nada adianta se esticar tanto pra caber num espaço que não é pra você, onde você não é bem-vindo. você vai entender que a vida é meio estranha, meio bizarra e que os pólos se divergem entre si. e você irá olhar a imensidão das estrelas, dos oceanos e do seu próprio eu e entenderá que não bastam migalhas, você não merece isso.
eu quero que você entenda que bom mesmo é se vestir de amor-próprio e só assim encontrar alguém que te transborde. eu quero que você perceba que só vale entregar seu amor para alguém que mereça. e que você possa repousar sua cabeça em meu ombro, me conte suas histórias mais ridículas e seus olhos possam brilhar quando sentir-se seguro em me contar sobre seus medos, sobre seus momentos de tristeza e suas alegrias. eu quero sentir ciúmes das pessoas que estiveram nos seus melhores momentos, mas melhor que isso, quero criar novos momentos com você.
em algum momento você vai entender que o mundo é uma roda-gigante, um temporal e um arco-íris nascendo após ele. você vai rir, chorar e sentir falta. vai tropeçar em vários capítulos truculentos pensando em desistir, mas vai ver no sol da manhã seguinte que o mundo te espera.
em algum momento seus pulmões irão implorar para que você respire e isso irá te causar danos e aprendizados, só não perca sua sensibilidade. nunca.
quero que você saiba que dar certo é muito subjetivo. que as pessoas deixam pedaços de si na gente e a gente carrega esses pedaços por onde for, mesmo que não exista nada além da ausência das palavras e tudo pareça ecoar no vazio. que a saudade acontece e que é inevitável, e ainda assim a gente encontra um raio de beleza nisso.
em algum momento você vai entender que o orgulho vai gritar mais alto em qualquer coração apaixonado e que esse é o nosso mundo, ninguém disposto a mudar. acredite.
mas você vai entender que em algum momento o seu certo subjetivo acontecerá… em algum momento. acredita?

 

Meus parabéns, Renata!

 

Hoje é o aniversário da minha best e parceira aqui do blog (@renatta_verissimo), com quem eu divido meus segredos, medos, anseios e felicidades. Era pra esse álbum ter ido pro facebook (mas a jumenta aqui não sabia que o face não era tão moderno assim), então aqui está meus parabéns. Tentei ser criativa, espero que goste. Vida longa pra tu! ❤

Álbum da amizade

 

Ouça Harry Styles

Você já deve ter escutado o nome desse moço por aí. Sim, é ele mesmo o ex integrante da boy band One direction. Mas pode apagar todo o esteriótipo estilo/musical que você tem aí á respeito. Harry Styles lançou seu álbum solo dia 12 de maio de 2017 e surpreendeu geral (pelos comentários que eu li por aí).

Confesso que só ouvi o álbum hoje justamente porque estava no spotify ontem e ele sugeriu-me “Sign of the times” que musica do caral…Isso, mesmo. Ela tem aquela pegada melancólica de mundo distópico/fimdostempos e ainda assim tem arcos de romantismo. Eu juro que não acreditei que a musica era do menino aí. Então, lá fui eu conferir o seu trabalho solo. Essa aí citada já dispensa apresentações, né? É o cartão-postal.

O álbum tem uma pegada rock antigãaao, meio beatles sabe? O Harry tá um verdadeiro rock star, ele já tinha uma pegada visual por aí né? Só tava mesmo esperando o seu momento.  A primeira faixa do álbum é “meet me in the hallway” e eu juro que já havia escutado antes e não fazia ideia que a musica era dele e muito menos tão recente. Os arcos de blues, rock e um tom hippie entram em cena em várias das canções, como em “Carolina” e o tom mais pesado vem na canção “Only angel” com direito aquele gritinho rocker que eu adoro no The clash, por exemplo. Com um inicio bem diferente, que lembra um coral de anjos caídos e uma pegada sexy (tanto na voz quanto na letra). A musica “Kiwi” também tem uma pegada bem rock, lembrando os sons de garagem nos anos 70.

A fofura e nostalgia vem em “sweet creature” que trás uma vibe meio blackbird dos beatles, ou mesmo, keane.  “Ever since New York” é tão grunge acústico, aquela musica surradinha e “two ghosts” é aquela canção pra lembrar dos amores que se perderam por aí de forma singular.

Pra terminar vamos de “Woman”  pronunciada em alemão? enfim e “from the dining table” …Aquelas musicas que você escuta com um copinho de Whisky em uma mão e o cigarro na outra, olha pras pessoas ao redor, em uma noite fria e pensa sobre todas as coisas banais ou não? viajei? haha, a primeira de forma mais grutal, meio foda-se tudo e a segunda já cortando os pulsos. É isso, não tô sendo dramática.

Vamos ouvir?

“Nós nunca aprendemos, já passamos por isso. por que estamos sempre presos, fugindo das Balas?”

“Ela é um anjo,meu único anjo”

“Eu andei pelas ruas o dia todo, correndo dos meus medos porque você me deixou no corredor”

“Nós não nos falamos desde que você foi embora, silêncio confortável é tão superestimado, por que não você nunca vai dizer o que você quer dizer?”

“Se mudou porque sua avó disse vá para as cidades, melhor nadar antes de se afogar, ela é uma boa garota”

“Criatura linda, criatura linda onde quer que eu vá, você me leva para casa”

“Ela passou por tudo com um pacote barato de cigarros, licor forte misturado com um pouco de intelecto”

“E estive orando, nunca fiz isso antes, entenda que estou falando com as paredes, eu tenho orado desde Nova York”

“Somos apenas dois fantasmas no lugar de quem era eu e você, tentando se lembrar como era ter um coração que bate”

“Estou vazio, eu sei. Promessas são quebradas como os pontos, espero que você possa ver a forma que eu estou enquanto ele está tocando sua pele.Esta coisa sobre mim uiva como um animal”

 

Então é isso!

5 sugestões para presentear o (a) namorado (a)

Dia 12 está chegando e sabemos nós que dia é esse, um dos mais comentados todos os anos, tanto por quem tem e por quem também não tem um date. Eu sou simplesmente solteirona mesmo, mas tô aqui pra dá um help em quem ainda não comprou nada pro amorzin, corre que já é segunda, hein.

01- Livro ou DVD/CD:

Com certeza todo mundo sempre tem um autor favorito ou banda/filme/cantor, claro que você sabe os gostos da pessoa que você ama. Então, nunca é batido ser clichê e cultural.

livros.png

02- Camiseta ou caneca personalizada:

Eu sou apaixonada por camisa de banda e canecas de banda também, então acho que por isso tô recomendando (e nem é eu que vou receber,né?), mas a dica é baratinha e especial. Fica a seu critério, você pode conferir algumas sugestões aí em baixo.

03- Cesta para sobreviver ao apocalipse zumbi:

Achei essa ideia bem criativa, vi uma vez em algum instagram e achei bem legal, infelizmente não lembro qual instagram (por isso vai ficar sem foto ilustrativa). O legal é colocar todas as besteiras possíveis que seu/sua namorado (a) gosta. Livros, filmes, cd’s, chocolate, ursinho etc Por fim, deixa um cartãozinho com um “Kit de sobrevivência a um ataque zumbi, feliz dia dos namorados!”

04- Viagem:

Essa já é pra quem economiza uma graninha a mais, porque não uma viagem? Se vocês são pessoas de almas livres e tem um tempinho, pode até não ser esse mês, mas planejar uma viagem é sempre ótimo. Que tal supreender com as passagens? Os momentos incríveis serão o melhor presente.

giphy

tumblr_ojfh66doxo1tnvvbdo1_r1_500

tumblr_oiv0lv9gkr1sysgeao1_500tumblr_ogy5pqgwkr1uvhb6zo1_500

05- Cartas “Abra Quando…”:

Essa sugestão é tipo DYI, em um envelope grande ou uma caixinha feita por você mesmo, escreva várias cartas para serem usadas em momentos específicos da vida do seu parceiro. Por exemplo: “Abra Quando…precisar de um abraço”; “Abra Quando… estiver se sentindo triste”; Abra Quando…sentir saudades de mim”; “Abra Quando…estiver em semana de provas”; “Abra Quando…algo no trabalho estiver incomodando”, e assim por diante.

cartas

É isso, espero que gostem e que eu tenha ajudado!

Brechó e Quintal Cultural-Riso da Terra

Olha que engraçado, eu estava com a Renata andando pela faculdade quando uma garota nos aborda pra entregar panfleto, geralmente a gente sempre joga o papel fora ou desvia, mas dessa vez achei a proposta interessante. Era um convite para a inauguração de um brechó, me chamou atenção por que eu vi que era diferente. (hmm, quintal cultural? discagem de vinil? cerveja artesanal e comidinhas vegetarianas?) gostei.

Olha, mas engraçado ainda é que o brechó era a cinco minutinhos daqui de casa. Claro que fui conferir.

Amei a vibe! Era uma galera hippie.

A gente olhou as roupitchas, tinha muita coisa artesanal também.
Os discos de vinil do tipo, superrr clássicos. Rolou festinha até tarde da noite, infelizmente não pude ficar até tarde, mas foi bem interessante e divertido. Fiz amizade, conversamos sobre várias coisas e ainda tinha um carinha da França! Pois é, pasme. O sotaque era uma coisa a parte, até dava pra se comunicar. haha
Achei a proposta interessante, elas abriram o brechó com o intuito de ganhar uma graninha extra pra ajudar no aluguel da casa e nas contas diárias, então estará aberto todos os dias desde então. Quem quiser dar uma conferida, vai lá. Elas ainda estão no comecinho da coisa, mas vocês também podem trocar peças de roupas! Ok?

O brechó fica na rua Manoel Pachêco, bairro São Miguel. Número, 314. Arcoverde, Pernambuco.

 

WhatsApp Image 2017-06-04 at 16.38.07

WhatsApp Image 2017-06-04 at 16.38.06

Como poderia ter sido?

Volta e meia, me pego pensando em coisas que não deveria. porque a gente nunca aceita não saber como teria sido?
o medo de sentir uma saudade eterna, uma falta de algo, de alguém… são tantos os pensamentos que corrompem o nosso interior e vai nos definhando aos pouquinhos.
sabe aquela sensação de andar pela cidade e encontrar os mesmos rostos, gostos e dissabores? aquela sensação de temer não vivenciar experiências que julga serem essenciais? é um medo, uma insegurança boba. é verdade, às vezes a vontade que dá é de chutar o balde, se conformar, ser um eu em pedaços desabando na velocidade da luz. e então,  eu me vejo agarrando os meus óculos sobre o criado mudo, lá pela manhã, os raios de sol entrando aos pouquinhos no meu quarto e quando ouso a olhar-me no espelho, estou ali tentando mais uma vez, fazendo centenas de planos, traçando uma lista infindável de metas e pensando nas pessoas que quero sempre comigo, bem perto.
não tem como, por mais que eu nunca saiba como teria sido se a gente tivesse dado certo com todos aqueles planos que fizemos juntos e ver agora que eles se desmancharam como nuvens de algodão num céu nublado, mesmo que eu nunca saiba como teria sido se eu não tivesse rejeitado aquele emprego com tanta autonomia só pra ganhar  experiência numa empresa mais renomada, mesmo que eu nunca saiba como teria sido se eu não abandonasse meu lar para ir em busca dos meus sonhos que até agora não se concluíram, mesmo que…
são tantos os “e se?”, são tantos os “como seria?” que a gente engole da vida como uma criança pequena que não quer tomar um remédio, quer saber?
a gente sempre vai ter que abrir mão de algo, ou algo sempre vai abrir mão da gente, e ninguém pode morrer por isso, mesmo querendo. não é pra ser assim, é pra ser ousado. “toda escolha requer ousadia”, então os ‘e se?’ são mais fortes do que pensamos, atravessamos eles com a consciência de que poderia ter dado certo, mega certo, mas ousamos deixar ele lá quietinho, longe e ir atrás de outra escolha, ou do nosso destino.

5 motivos para amar os países nórdicos

Por muito tempo eu fui encantada pela Inglaterra e até hoje sou, mas se tem um lugar no mundo que eu queria viver, esse lugar só pode ser um país nórdico. Não faz muito tempo que eu comecei a me interessar por esses países, porém hoje em dia não tenho motivo algum para deixar de quere-lós tanto e por isso vim compartilhar com vocês esses motivos todos, espero que gostem.
1- Países nórdicos são considerados os mais felizes do mundo e mais democráticos também: Isso mesmo, segundo uma pesquisa realizada pela ONU em que o informe combina seis fatores: PIB per capita, expectativa de vida saudável, apoio social (ter alguém em quem confiar em momentos difíceis), ausência de corrupção no governo e nas empresas, liberdade social e generosidade (medida por doações recentes), segundo a lista, os 10 países mais felizes são, pela ordem: Noruega, Dinamarca, Islândia, Suíça, Finlândia, Holanda, Canadá, Nova Zelândia, Austrália e Suécia. Ou seja, Noruega, Dinamarca, Islândia  Finlândia e Suécia são nórdicos e olha só a posição que ocupam, brinca com eles.
2- Você pode apreciar a  aurora boreal: É muito comum pelo céu de países nórdicos, se você assim como eu, for amante de estrelas, imagina então ver um espetáculo desses? A aurora boreal é causada devido ao contato dos ventos solares com o campo magnético do planeta, tinge o céu noturno de luzes coloridas.
03- Carregam lendas Vikings: Os vikings são uma antiga civilização originária da região da Escandinávia, igualmente conhecidos como nórdicos ou normandos, eles estabeleceram uma rica cultura que se desenvolveu graças à atividade agrícola, o artesanato e um notável comércio marítimo.
Tá, eu sou encantada por histórias vikings; suas histórias de navegações, bravura, suas roupas e sua música, imagina só! Ouvir uma gaita tocar por um desses países deve arrepiar a alma.

04- Tem roteiro para todos os gostos: Nos países nórdicos você encontrará um leque de atividades para escolher e fazer. Andar em barcos pelos canais, visitar museus e até mesmo ver embarcações vikings reais, ir no parque de diversão que inspirou o Walt Disney, andar de trem, conhecer o Museu Vasa, um navio hoje restaurado que afundou em sua viagem inagural, em 1628, e só foi resgatado mais de três séculos depois, em 1961. Águas termais, saunas, vulcões e diversos espetáculos da natureza para apreciar, enfim muitos são os roteiros.

05- A arquitetura é histórica: Boa parte da arquitetura dos países nórdicos são históricas, nada de prédios luxuosos e comércios extravagantes, a sensação de andar pelas cidades da região é de sentir-se uma ninfa ou princesa, muitas são as cidades que tem vilarejos e até ruinas de castelos.
WhatsApp Image 2017-05-28 at 00.01.42
WhatsApp Image 2017-05-28 at 00.11.18
WhatsApp Image 2017-05-28 at 00.11.19(1)
WhatsApp Image 2017-05-28 at 00.13.45
WhatsApp Image 2017-05-28 at 00.11.19
WhatsApp Image 2017-05-28 at 00.01.14
Venham se apaixonar pelos países nórdicos ❤

 

Inspiração: Estilo da Kristen Stewart

Kristen Stewart ficou conhecida mundialmente após interpretar a personagem Bela da saga crepúsculo, após o sucesso da saga que divide opiniões em todo o mundo até hoje, a atriz foi escalada constantemente em vários outros filmes, há quem diga que ela não consegue ser expressiva e isso é bem subjetivo, mas em uma coisa a mulherada há de concordar, o estilo dela é de deixar qualquer uma babando. Muito autêntica, elegante e a queridinha da Chanel. Já viu, né? Confesso que ela é a minha principal inspiração na hora de montar algum look pra lá de street.

Kristen conseguiu deixar suas marcas registradas por aí; o nózinho na camisa, a calça dobrada, a mistura de chique com casual e o cabelo bagunçado, tudo muito Kristen. Então, vejam alguns looks e se inspirem.

WhatsApp Image 2017-05-27 at 15.39.39

WhatsApp Image 2017-05-27 at 15.39.43

WhatsApp Image 2017-05-27 at 15.39.44(1)

WhatsApp Image 2017-05-27 at 15.39.44WhatsApp Image 2017-05-27 at 15.39.46WhatsApp Image 2017-05-27 at 15.39.51WhatsApp Image 2017-05-27 at 15.42.57

Beijos ❤

Resenha do livro: Misto quente

Charles Bukowski é apelidado carinhosamente de “velho safado” por seus fãs, com uma narrativa nua e crua, Bukowski reúne diversos romances que são verdadeiros tapas na cara. Misto quente foi um empréstimo, lembro que estava indo para o sítio e o coloquei na mala, pensei que não fosse abri-lo e logo depois pensei que não conseguisse fecha-lo.

De todos os romances do Buk que eu li, esse de longe se tornou meu favorito.
“Estávamos todos juntos nisso. Todos juntos num grande vaso de merda. Não havia escapatória. Todos desceríamos juntos com a descarga.”
Então, a história gira em torno do Henry Chinaski um personagem que aparece em outros romances do buk, em Misto quente Chinaski nos mostra uma vida “infernal”, a narrativa começa contando a infância dele, sua chegada a Los Angeles vindo da Alemanha e seus momentos de ‘high school’, onde ele é sempre o loser. É sempre o último a ser escolhido para jogar, sofre preconceito por ser alemão e nenhuma garota o dá bola, mas o garoto não se faz de coitadinho, muito pelo contrário, ele sacaneia os outros garotos assim como é sacaneado.
Em casa, o inferno continua, seu pai aparentemente lhe bate por prazer, é autoritário beirando a psicopatia e sua mãe é ignorante, conformada e por vezes eu senti como se ela fosse uma morta-viva.
Henry mostra durante boa parte da narrativa nutrir um ódio pelo pai, seu pensamento recorrente vem de Dostoiévski “quem não quer matar seu pai?”, além de martelar um “eu devo ter sido adotado”.
Bukowisk usa uma linguagem seca e objetiva, com um humor negro e a tal da ironia perceptível em quase toda a narrativa.
Atenta-se que esse não se trata de um romance clichê ou cheio de voltas, Henry Chinaski tem uma família beirando a histeria. É uma linguagem completamente “chula”? É. Você vai encontrar muito palavrão, porém muitas críticas também.
Chinaski percebe durante uma de suas aulas de inglês, quando a professora pede uma redação que a única coisa que as pessoas querem e alimentam são mentiras bonitas, “(…) era isso que eles queriam: mentiras. Mentiras maravilhosas. Era disso que precisavam. As pessoas eram idiotas, seria fácil pra mim.” então neste momento ele se encontra nos livros e na escrita, Henry Chinaski passa a ser o tipico anti-social reservado em seu quarto, com poucos amigos e sendo um durão.
Chinaski é um personagem inconformado com a forma que a sociedade se comporta, “estudar, arranjar um emprego qualquer, casar e ter filhos” e com isso ele sente como se nunca fosse ser feliz.
Misto quente consegue ser um livro trágico, cômico e sincero. É cotidiano, é real.
Talvez misto quente não seja uma leitura interessante para quem busca finais felizes, a visão aqui é de puro pessimismo e negatividade perante a vida. Mas em todo caso, fica aí a indicação, se forem ler, já adianto logo, não se assustem com o linguajá pra lá de sujo do velho safado.

Beijos ❤

SEMEX- Uma bagagem cultural

Entre os dias 22 à 25 deste ano, ocorreu na Autarquia de ensino superior de Arcoverde a SEMEX (semana de extensão) tá, o que é isso?

É uma espécie de congresso, onde você ao efetuar sua inscrição escolhe oficinas das quais quer fazer parte, são diversos os temas.
Talvez para quem já esteja no curso superior, isto pareça bem mais claro, é comum em todas as universidades do país.
Todos os anos desde que efetuei minha matrícula no curso de letras, participei de todos os congressos. Esse ano não foi diferente, mas como esse é provavelmente o último antes da colação de grau, então resolvi mostrar um pouquinho pra vocês do que eu vi por lá.

Pra quem é apaixonado por MPB (eu, no caso), a gente tinha uma salinha especial contando a história da MPB e seus representantes. Teve também espaço para a cultura regional, e lá foram os cantadores de mote e repente, isso é literatura, Brasil. Teve a exposição dos livros publicados pelos alunos e ex alunos da casa, né? tipo, o da minha turma, que foi o nosso tcc.

Teve espaço para jogos matemáticos, onde qualquer um poderia participar, eram desafios. (sou de humanas, corri pra longe)
Teve espaço também para a venda de livros clássicos e contemporâneos, assim como para peças artesanais.
E uma das minhas salas favoritas, tinha como título “tropicália-alegria alegria” lá abriu-se uma roda para debate do ensino da nossa cultura em sala de aula, o ensino da música brasileira e do quanto as pessoas tem uma visão eurocêntrica das coisas.
O último dia do evento foi marcado pela exposição dos trabalhos realizados ao longo do semestre nas escolas estaduais, pelos os universitários bolsistas do PIBID (programa institucional de bolsas de iniciação a docência), no caso,  Renata e eu também estávamos expondo nossos trabalhos já que somos bolsistas.
Bem, aqui fica um pedacinho da SEMEX, pra quem é universitário ou ainda vai ser, indico sempre participar desses congressos, não apenas para receber o certificado, mas para adquirir saberes que ficarão com você por muito tempo, como uma espécie de dinheiro, o dinheiro que não o cega e sim, o faz enxergar. A educação e a cultura são as armas mais poderosas que podemos usar, contra tudo.

Continuar lendo “SEMEX- Uma bagagem cultural”

Look do dia: Pink & Me

 

Eu nunca fui muito fã de rosa, na verdade boa parte do meu guarda-roupa é composto de preto, contraditório para o mini book de logo mais, eu sei.
Acontece que no dia 23, estávamos nós estudantes do 8° período de letras no nosso showzinho particular, um evento ou coquetel, para a exposição do nosso livro. Resolvi aí do nada, na última hora, ir toda Barbie.
Mudar é bom, já disse uma vez a Marthinha Medeiros (ó a intimidade,né?) “morre lentamente quem não arrisca vestir uma cor nova…”
Então, lá foi eu experimentar uma nova versão de mim.

IMG_20170524_102446_579

IMG_20170524_102459_116IMG_20170524_102420_277IMG_20170524_102432_026IMG_20170524_102405_120IMG_20170524_102559_542

Vestido: COLCCI/ Sandália: CRYSALIS Colar: JR BIJUTERIAS

Resenha do livro: O grande Gatsby

Ao abrir o livro do F. Scott Fitzgerald que é um livro relativamente pequeno, na verdade, ele é curtinho mesmo. Você é levado quase que instantaneamente a fazer uma reflexão, digamos que um conselho a ser tomado por todos é exposto nas primeiras linhas. Uma tal de meritocracia precisa ser repensada, sabe? Aquela coisa de fazer prevalecer os “méritos”, quando não temos a menor condição de fazer isso.

“-Sempre que tiver vontade de criticar alguém-recomendou-me-, lembre primeiro que nem todas as pessoas do mundo tiveram as vantagens que você teve.” (negrito e itálico)

Então a narrativa se segue e consiste em uma história carregada de crítica social, onde você só percebe nas entre-linhas. Retratando a sociedade americana da época, onde as pessoas eram fúteis e o dinheiro falava à frente de todas as coisas até mesmo do amor.
Gatsby o protagonista desta história, é cercado por mistério e consegue trazer uma áurea de ingenuidade, no meio de suas altas festas e de sua privilegiada posição social, tudo que Gatsby quer é reconquistar o amor de Dayse, esta que é sua ex namorada e demonstra ser uma personagem um tanto fútil também, vivendo um casamento infeliz com Tom, personagem esse que me enoja, digamos de passagem e abrindo espaço para o adultério. O livro é narrado por Nick um personagem sem muita visibilidade, na verdade, ele está mais para um observador nato dos fatos. O livro tem como cenário a década de 1920, uma época onde o Jazz era a música que inundava os ambientes, o gim era a bebida nacional e a riqueza parecia estar em toda parte, festas espalhafantosas aconteciam na alta sociedade e todos queriam fazer parte. Era uma espécie de sonho americano, como se o materialismo fosse o alvo maior. E mesmo sabendo que o livro retrata comportamentos de uma sociedade tão antiga, temos consciência de que é um livro atemporal trazendo uma bagagem cultural muito interessante.
Fitzgerald em sua narrativa que é aclamada por vários críticos, apenas abriu espaço para o debate acerca da ganância e por que não do capitalismo, fazendo um paralelo com os dias atuais. O dinheiro é a moeda e ela tem dominado o homem. Por quanto tempo mais viveremos isso, já não estamos em 1920, ou estamos?
Bem, recomendo o livro para aqueles que são amantes dos clássicos e digo para os que não são, comecem ou recomecem por esse enquanto escutam young and beautiful da Lana Del Rey, inclusive, é trilha sonora do filme que é baseado no livro.

WhatsApp Image 2017-05-22 at 11.44.28 AM

As coisas ruins surgem das coisas boas

 

Outro dia eu estava parada de frente para o supermercado, tentava decidir o que levar para o jantar, naquele momento meu celular vibrou, quase tive um mini ataque cardíaco, esperava que fosse ele. esperava que fossem as suas palavras, que eu pudesse ver aquele coração vermelho com uma mensagem de boa noite, que ele me perguntasse o que eu estava fazendo e eu pudesse pedir ajuda nas compras, mesmo que distante, daí a gente ia ficar papeando a noite toda sobre todos os assuntos possíveis. eu sabia que ele era bom nisso, na verdade eu sabia que ele era bom em muitas coisas, e esse é o início das coisas ruins. mas não era ele. naquele momento eu senti um desespero, porque eu não entendia que tudo tinha chegado ao fim? e quantas vezes eu me vi nessa mesma cena, aquela entre o começo e o fim do precipício que você sabe que sempre sobrevive, mas insiste em teimar que não. quantas vezes nós temos que passar por isso até aprender que as pessoas não ficam, por mais que você esperneei e grite, por mais que você peça baixinho e chore.
a mensagem era de outro cara, aquele que você sabe que é o outro cara, mas jamais será ele. pode chamar você pra um café, pode ouvir as mesmas músicas que você, pode escrever poesia, pode gostar de cachorros, pode até fazer o mesmo curso que ele e assim parecer com ele, mas não é e você sabe que nunca será. então você fica com o coração aos tropeços, você sorri para a mensagem e responde, como em um mecanismo de auto-reconstrução você percebe que recomeçar é a única opção válida, que dá chances a novos amores é melhor do que se isolar com os fantasmas do passado, aliás já passou, não era pra ser e quando não é pra ser, não tem dedo cruzado, prece ou promessa que dê jeito.
“então o que você sugere que eu leve para o jantar, moço?”
e em um minuto, as pessoas podem tentar recomeçar. Só não vale ficar esperando o passando voltar a tona, ás vezes ele nunca volta, ou, ás vezes, ele volta quando é tarde demais.

Look do dia: Quase uma pin-up

Adoro dias frios e hoje foi um deles, resolvi simplesmente sair pra clicar um look. Tudo pra vocês, vê só. O céu nublado, as flores vermelhas pra combinar com a sainha godé e a cerca viva esverdeada dando um charme.
Bem, não digo eu que esse look escolhido é próprio para dias frios, talvez uma meia-calça peça lembranças e um agasalho também. Em todo caso, fica aí a inspiração, espero que gostem.

WhatsApp Image 2017-05-21 at 9.39.56 PM

 WhatsApp Image 2017-05-21 at 9.39.55 PM

WhatsApp Image 2017-05-21 at 9.39.50 PM

WhatsApp Image 2017-05-21 at 9.39.54 PM

WhatsApp Image 2017-05-21 at 9.39.54 PM(1)

WhatsApp Image 2017-05-21 at 9.39.52 PM

Blusa-C&A/saia-DIMY/sandália-BEIRA RIO/colar-JR BIJUTERIAS.

Resenha do livro: A graça da coisa

Já deve ter acontecido com você. Você entra em uma livraria e se encanta por praticamente todos os livros, mas tá dura. É uma merda, eu sei. Aconteceu comigo mês passado, entrei na livraria e como sempre, me apaixonei. Imagina só quando um autor que você tanto gosta está por 14,99 e mesmo assim você tá dura? Mil vezes uma bosta. Aí o jeito é você entender e agir da maneira mais madura possível, escondendo aquela relíquia, colocando lá atrás, no finzinho mesmo, com a promessa que você vai voltar. É quase uma cena digna de Oscar.

Eu voltei, semana passada. E não sei se porque “Harry Potter e a criança amaldiçoada” estava ali em cima, convidando os leitores a mais uma aventura que eles já conhecem e veneram, mas curiosamente “A graça da coisa” ainda estava me esperando, no mesmo lugar. Eu? Agradeci aos outros por não terem tanto apresso por literatura nacional (baixo da minha parte,eu sei), mas agora só eu sei o quanto eles perderam de fato. Perderam, feio.

O livro reúne 82 crônicas, e a cada crônica lida eu soltava um “essa mulher é incrível”. Ora, o que esperar de alguém que começa despretensiosamente falando da vida urbana e vai evoluindo o papo pra assuntos que causam uma certa coceirinha no nosso interior? No nosso ego? No nosso eu?

Martha Medeiros nos questiona sobre o zelo, o famoso amor raso que a gente tanto ver hoje em dia. Nos questiona sobre o quanto é difícil tomar decisões, por que somos a soma delas e temos o famigerado medo de errar (mas errar é humano, né?), nos questiona sobre as amputacões auto-provocadas que temos que sofrer ao longo da vida, sobre o quanto uma viagem revigora  (com direito a referências como “Na natureza selvagem” <3), uma carta de amor ao brilhante Woody Allen, e ah, o quanto a gente se adapta ao outro quando gosta de verdade (citar Pearl Jam foi demais pro meu coração tá, Marthinha?!).

Enfim, em a graça da coisa eu me renovei. Removi uma parte de insegurança que me impedia de fazer grandes feitos, e marquei todas, eu disse t-o-d-a-s as páginas do livro. Em cada crônica lida eu aprendi uma lição, e isso vale muito. Obrigada, Martha.

martha-medeiros-resenha-5

Alguns trechos:

“Se eu juntasse alguns transeuntes, aleatoriamente, duvido que encontrasse um que afirmasse: cheguei até aqui sem nenhuma amputação autoprovocada. Será? Talvez seja um sortudo. Mas é mais provável que lhe tenha faltado coragem.”

“A maioria acredita que a longetividade dos amores é atribuição do destino, ele é que tem que tomar conta. Nenhum encantamento se mantém sem uma boa supervisão. Não basta dar corda e depois cruzar os braços.”

“Só nos tornamos adultos quando perdemos o medo de errar. Não somos apenas a soma das nossas escolhas, mas também das nossas renúncias. Crescer é tomar decisões e depois conviver em paz com elas.”

“O amor adora se fazer de difícil”

“A independência nos torna disponíveis para viver a vida da forma que quisermos, sem precisar “negociar” nossa felicidade com ninguém. (…)  Garotas, não desistam da sua independência. Façam o que estiver ao seu alcance, seja através do trabalho ou do estudo, em busca de realização e amor-próprio.”

“Que Veneza,  Mykonos,Bali e Patagônia são lugares excitantes, mas que incrivel mesmo é se sentir feliz dentro da própria casa.”

“Que a vida não oferece opção: ou você segue, ou você segue.”

“Poesia. É ela quem sempre nos salva do ridículo e dá à vida uma transcendência cada vez mais necessária.”

“A paixão é para todos, o amor é para poucos… Paixão é para ser sentida; o amor, além de sentido, precisa ser pensado. Por isso tem menos prestígio que a paixão, pois parece burocrático, um sentimento adulto demais, e quem quer deixar de ser adolescente?”

“No entanto, aos poucos fui descobrindo que mais importante do que ter coragem para aventuras de fim de semana, era ter coragem para aventuras mais definitivas, como a de mudar o rumo da minha vida se preciso fosse. (…) arriscar-se a decepções para conhecer o que existe do outro lado da vida convencional. (…) Toda escolha requer ousadia.”

“Do que se conclui: De onde muito se espera-boates,festas,bares-é que não surge nada. O amor prefere se aproximar dos distraídos.”

“Viajar é sair em busca dos nossos pedaços para integralizar o que costuma ficar incompleto no dia a dia.” 

“Puro blá blá blá, pois na hora em que a paixão se apresenta, nossos gostos se adaptam rapidinho, e a gente se pega dançando forró quando queria mesmo era estar num show do Pearl Jam.”

Ah, chega né? Vão comprar o livro! Hahah beijos.

05 filmes na netflix- part.02

Heyhey!

Sou uma péssima pessoa pra dar continuidade a tags ou projetos, mas estou aqui de volta para indicar mais 5 filmes que vi na netflix e que gostei.  Hoje vou fazer diferente, apenas romances. Okay? Lembrando que todo mundo tem um gosto diferente, né? Mas, sério, creio que irão gostar deles.

01- EQUALS (Quando eu te conheci)

Odiei mil vezes esse titulo brega que colocaram, mas o original é EQUALS tá? Enfim. O filme é a história de uma sociedade distópica onde o amor é considerado uma doença, sentir é considerado uma doença. Óbvio que tem um casal que se apaixona e vive o famoso drama de serem descobertos (e são), mas sem spoiler. Assistam o filme.

02- The choice (A escolha)

Baseado no livro do Nicolas Sparks, ou seja, choroso. Um romance leve e que vai te fazer dar muita risada também, são personagens divertidos de ver em cena, e você poderá tirar lições de vida gigantescas.

03- One day (Um dia)

Também baseado em livro, um dia é um daqueles filmes apaixonantes e que trata sobre amizade e amor, além de fazer a gente se questionar sobre nosso desperdício de tempo e do valor que damos as pessoas que realmente importam em nossas vidas.

04- If I stay (Se eu ficar?)

Um filme inocente. Sobre uma daquelas paixões avassaladoras na adolescência. De que quando o amor vem, não importa as diferenças. E quando você está feliz, bem, de repente, tudo pode mudar… Baseado em um livro também.

05- Ligados pelo amor

Um romance em familia hahah, a gente vê caso de amor mal resolvido entre marido e mulher separados. Caso de amor de uma garota que não acredita no amor e caso de amor do irmão dela que é vive um amor platônico.

 

Conselhos para a Maby com 15 anos

1489603317401409

Essa é uma tag muito interessante que eu encontrei em algum blog (infelizmente não lembro qual), as pessoas escolhem uma idade e então elaboram uma serie de conselhos que gostariam de ter recebido naquela época. Escolhi meus 15 anos por que era uma idade onde eu era cheia neuroses.

1- Seja confiante, esqueça a aprovação alheia. Com certeza eu queria que alguém tivesse enfiado isso na minha cabecinha, nos meus 15 anos e praticamente boa parte da minha adolescência, fui muito travada. Ficava com medo do que os outros iam pensar de mim e isso me deixava insegura até pra responder uma questão que o professor perguntava (e eu sabia a resposta).

2- Divirta-se mais, não se pressione. Sério mulherzinha, a vida não é só enfiar a cabecinha nos livros e ficar neurótica com uma nota 8 no boletim, saia com suas amigas e conheça gente nova pelo amor de Deus. Você vai sentir falta de histórias loucas nos seus 21 anos.

3- Não pare de escrever o livro, safada! Desculpa aí, mas precisava expressar minha indignação, você tem a história toda na sua cabeça e por que raios parar? 6 ANOS DEPOIS você vai se sentir uma bosta.

4- Pesquise sobre o feminismo. Tá, eu sei que tu tá ocupada com a Avril Lavigne nossa de cada dia, preocupada com o garoto novato que chegou e tá te arrasando (idiota! os dois), e fantasiando casar com o Harry Potter num futuro distante, mas arranja aí um tempinho pra pesquisar sobre esse movimento maravilhoso, aproveita e dissemina.

5- ESTUDA INGLÊS PORRA! Você vai se sentir uma sacola plástica sem o inglês, sério. Todos os seus sonhos vão precisar que você saiba falar inglês.

6- Escute musica indie rock. Você vai se encontrar nesse estilo, visse?!