Reputation- Taylor Swift

Taylor Swift é uma artista que gera muita expectativa a cada trabalho, isso porque sua vida pessoal é bastante especulada e porque ela é uma artista que busca crescer a cada novo trabalho. Em 2017, três anos depois de lançar álbum (que foi considerado obra-prima), a Taylor retorna mais dark e pop, Reputation!

O sexto álbum de carreira da Taylor é o reputation, como o nome bem fala por si só, o álbum é todo centrado em falar sobre a sua reputação. Na verdade, não todo! (hahaha) Taylor bem que tenta, mas da metade pro fim do álbum a gente pode ouvir várias canções românticas, então a antiga Taylor citada no seu primeiro single lançado “look what you made me do” como morta, não morreu completamente.

Mas é um álbum que marca de vez a entrada da Taylor no universo pop, meio que deixando pra trás o country/folk do início da carreira e o pop alegre de 1989, seu álbum antecessor.

Taylor se joga no eletro-pop.

taylor-swift-dark-apaixonada-novo-album-reputation

A taylor começa o álbum com um prólogo bem interessante (que é marca registrada dela já), porém esse prólogo já alfineta todo mundo. Logo em seguida o álbum dá a partida com a já conhecida “Ready for it” que é sem dúvidas, minha favorita (sem falar do clipe, tão bom quanto).

End Game é um feat com o  rapper Future e o ruivo Ed Sheeran, uma música bem chiclete e com uma das frases mais marcantes  “eu juro que não amo o drama, ele que me ama”, a música fala sobre ter uma grande reputação e inimigos.

Outra canção que não posso deixar de elogiar é “don’t blame me”, uma canção com influência do gospel (com direito a coral mesmo) e batidas eletrônicas, sem duvidas a minha segunda favorita.

A segunda metade do álbum vem a partir de Gorgeus, e traz a velha Taylor de volta. Essa eu achei entediante, porém “Dancing with our hands tied” assim como “Call it what you want” e “new year’s eve” salvam a segunda metade, dando chance a velha Taylor de aparecer.

rs_1080x1080-171107190450-23279723_777542925770459_8932444824968101888_n.jpg

Swift abraçou as manchetes sensacionalistas sobre sua vida, e fez disso um marketing de qualidade pra sua música. Não é o álbum do ano, mas com certeza a Taylor soube trabalhar bem em cima disso e trazer para seus fãs uma inovação, deixando músicas que irão parar em playlists de festas por aí, isso se ela liberar todas as músicas em plataformas de streaming, né? Vai Taylor, por favor!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: