Resenha do filme: Em ritmo de fuga

 

Ou Baby driver? Título original do filme.

Comecei e parei esse post umas 4 vezes, por que? Bom, esse filme é aquele tipo de filme que começa bem, derrapa no meio e dá uma melhoradinha no fim.

Mas, vou dar um desconto, vamos conhecer um pouco dessa história.

A história de Baby (Ansel Elgort) é meio devastadora, sim isso mesmo B-A-B-Y.

O garoto perdeu os pais em um acidente de carro, aparentemente o pai era um babaca e sua mãe vivia sofrendo na mão do babaca, mas enfim… A mãe era cantora nas horas vagas, o que fez com que Baby ganhasse um certo apresso por música e ele também tem na música a ajuda necessária para pôr fim ao zumbido na sua orelha, zumbido esse que ganhou após o acidente.

Aliás, Baby acaba se tornando um motorista do crime (piloto de fuga) e isso sempre acompanhado de boa música, acho que a música salva o filme mais que qualquer coisa.

699984-970x600-1.jpeg

Na verdade, a música salva todos nós de qualquer coisa, né? Spotify, last. fm e deezer, tão tudo aí pra isso. Foi uma ótima estratégia o uso das batidas intercalando com as ações.

O filme começa benzaço, com toda aquela adrenalina das corridas de carro contra a polícia  (só lembrei de quando eu jogava GTA e não sabia dos códigos, velhos tempos), depois o filme vai ficando meio digamos, entendiante.

O ritmo diminiu o que é um disparate contra o tema, né? A gente quer mais é que a coisa seja veloz pra fazer jus.

Mas, o trabalho de montagem foi bem feito. Aliás, as cenas de corrida ficaram bem mais reais, sem muito exagero e efeitos que dão na cara.

E, o que falar do romance do Baby com a Debbora? Isso sim foi rápido hahaha, mas tá bom, foi fofo (embora eu quisesse menos romance e mais ação).

xEm-ritmo-de-fuga.jpg.pagespeed.ic.qhOiFfxwcd.jpg

Lá no fimzinho tem uma treta doentia entre Baby e um dos bandidos (o bandido que é doentio), mas a treta foi legal e o baby ter colocado a última operação por água abaixo, também foi legal. O que quase salvou o fim e Baby teve o fim merecido, com direito a que tenhamos peninha dele, aliás o Ansel (crush supremo dos chorosos de A culpa é das estrelas) até que atuou bem, fez o papel direitinho, o problema ali foi mais no enredo e um pouco na direção.

Uma pena, mas se você não tiver problema com filmes que derrapam no meio e tipo, demoram um pouco a se alinhar, vai na fé. Também não é esse monstro todo que eu crio, é que eu sou meio desesperada por ação. Sorry.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s