Resenha do filme: A cabana

Sinopse: Um homem vive atormentado após perder a sua filha mais nova, cujo corpo nunca foi encontrado, mas sinais de que ela teria sido violentada e assassinada são encontrados em uma cabana nas montanhas. Anos depois da tragédia, ele recebe um chamado misterioso para retornar a esse local, onde ele vai receber uma lição de vida.

Data de lançamento: 6 de abril de 2017 (2h 13min)
Direção: Stuart Hazeldine
Elenco: Sam Worthington, Octavia Spencer, Tim McGraw mais
Gênero: Drama
Nacionalidade: EUA

Férias pra mim se resume em mofar colocando em dia os laçamentos que não tive como ver durante a vida corrida (basicamente, agora estou de férias por um período indeterminado).

A cabana é baseado no livro do William P. Young que foi lançado em 2007 e quase uma década depois, estamos nós apreciando a história nas telonas do cinema. (indico a leitura que óbvio é sempre melhor, a narrativa é muito simples e gostosa de acompanhar)

O enredo é voltado para pessoas que basicamente são cristãs ou ao menos crêem em uma divindade que é criador de tudo e rege tudo. Até então “Deus não está morto” é o filme mais ovacionado pelos cristãos, mas em termos de enredo e serenidade “A cabana” consegue ser bem mais explicativo e confortante.

Sem tentar impor religião ou mesmo ser manipulador, o espectador pode assistir ao filme e apenas ter consciência da importancia da fé e sentir-se com paz de espírito através das diversas metáforas que nos são apresentadas e didaticamente falando, bem melhores do que as apresentadas por Josh em “Deus não está morto”.

Outro fato louvável  nesse filme é terem seguido o livro na questão do estereótipo dos personagens. A Octavia Spencer sempre ótima e dando vida a Deus, isso mesmo, Deus como uma mulher negra e fazendo com que passemos a observar Deus como um ser amigo, como uma “mãe” e deixando de lado o estereótipo carregado ao longo dos séculos.

theshackreview-fi

Mas, o filme decai um pouco em termos de ritmo, alguns momentos são um tanto cansativos e o Sam Worthington (Mack, protagonista) assim como Aviv Alush (Jesus), me deram tédio em alguns momentos com suas inexpessividades quando o que mais se fazia necessário era a danada.

A cabana é um filme com público-alvo cristão e por isso, um sucesso de bilheteira, ao meu ver, o filme consegue trazer uma proposta bem honesta e de conforto pra quem assiste, não é nada forçado e sim, sereno. Vale a pena. É uma reflexão a cerca da fé e de sua ajuda em momentos de dor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s