Lust for life

Pausa pra gritar: FINALMENTE SAIU!

Lana Del Rey a nossa sad girl está mais viva do que nunca, após ficar conhecida mundialmente lá em meados de 2011 com os singles “video games” e “blue jeans”, Lana nos mostra em 2017 o quanto está desfrutando da sua liberdade pessoal, de ser o que é, como é.

1203792
Lust for life foi lançado (vazou,hein) no dia 21 de julho. O álbum mantém a mesma pegada dos anteriores, na verdade, parece ter um pouco de cada um deles nas canções. Aquela sensação de querer ouvir de olhos fechados ou contemplando o céu aberto, aquela vontade de viajar e esperar uma chuva de verão a cada melodia continuam ali, intactas.
É certo que Lana é uma artista que se desprendeu da pressão midiática, aquela pressão que muitas cantoras do pop tem a cada novo álbum lançado, tem que ser hit!
Lust for life é no mínimo, “eu faço o que eu gosto, pra quem gosta e eu estou feliz assim.”
A primeira faixa do álbum é “Love” e fica claro obviamente o quanto a Lana é apaixonada por seus fãs, entrega sua gratidão e ainda nos dá aquele recadinho maroto  “Vocês jovens ouvindo suas músicas vintage pelo celular/satélite, são parte do passado mas agora são o futuro”, e isso é amor.
O feat com The weenked é o single que traz o título do álbum e aí está de volta, aquela canção de amor brega, porém melodramática e totalmente a la “amor de cinema”, não é atoa o letreiro de Hollywood.
Os arcos de piano, guitarras em harmonia e um som mais limpinho estão em alta, em “tomorrow never came” arrisco a dizer que é minha segunda favorita do álbum, traz o feat com o Sean Lennon e aquela nostalgia da época dos beatles (sou apaixonada, universo sabe), nos deixa flutuando em um amor, sem contar que é um tributo a “tomorrow never knows”, que tributo hein!
Outra faixa que não dispensa comentários é “God blessed American-and beautiful Woman in it”, aquele apelo no maior estilo Del Rey, Deus abençoe a América e todas as pessoas, já que obviamente ela acredita que mesmo em meio as balas, em meio a todo caos do mundo, o que mesmo tem que prevalecer? responda aí.

No álbum você também vai encontrar um hip-hop bem verãozinho “summer bummer”, pra mostrar que o sorrisão estampado na capa do álbum não foi sem motivo. A sad girl tá bem animada, apesar de triste ao mesmo tempo.
É certo que lust for life é um álbum bem californiano. Vai fazer você viajar por cenários paradisíacos, por festiavais da década de 70, em camarins ou lojas de discos e cerveja barata, com uma rápida mensagem de consciência política.
Só lembrem-se que “Somos pessoas lindas/Com belos problemas, sim
Problemas bonitos, Deus sabe que os temos./Mas temos que tentar (la, la, la)
Todos os dias e a noite (la, la, la)”, e continuem tentando meus queridos, continuem ao som de Lana Del Rey.

lanasite1

Ps. tenho que ser birrenta e dizer que eu preferia a Lana com cara de sofrida na capa. Pronto, falei!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s